Cidades Destaques

Órgãos discutem adesão a aplicativo de denúncias ambientais

A plataforma foi criada em 2016 com a finalidade de reforçar o trabalho de atendimento às denúncias de crimes ambientais e permitir uma integração maior entre os órgãos nas diferentes esferas que lidam com a questão ambiental- foto: Raphael Alves
Redação
Postado por Redação

O secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antonio Nelson de Oliveira Júnior, e o procurador do Ministério Público Federal Rafael Rocha se reuniram na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) para dar início ao processo de discussão sobre a adesão do órgão ambiental municipal ao aplicativo de denúncias Meu Ambiente, do Instituto Amazônia Mais. A plataforma foi criada em 2016 com a finalidade de reforçar o trabalho de atendimento às denúncias de crimes ambientais e permitir uma integração maior entre os órgãos nas diferentes esferas que lidam com a questão ambiental.

O secretário Antonio Nelson lembrou que a Semmas é um dos órgãos mais demandados da prefeitura no que se refere ao atendimento de denúncias.

O procurador Rafael Rocha afirmou que a Semmas foi o primeiro dos órgãos visitados. “A participação da Semmas nesse esforço de universalização do aplicativo é fundamental e temos certeza de que hoje foi dado mais um passo para que possa ser promovida essa participação não só da Semmas como administradores do aplicativo, como também os usuários, tornando com isso o poder que eles têm de denunciar uma ferramenta efetiva para promover mudanças na sociedade e garantir a preservação do meio ambiente”, afirmou.

Um dos encaminhamentos da reunião foi a possibilidade de realização de um workshop entre os servidores da Semmas e os responsáveis pelo aplicativo. O objetivo do workshop é fazer como que, ao aderir ao termo de cooperação técnica, o órgão possa assumir o compromisso de prestar as informações sobre o atendimento de demandas de forma consciente em relação às dificuldades operacionais e aos limites de sua capacidade de atendimento.

A engenheira florestal Síntia Fernandes, do Amazônia Mais, afirmou que neste momento a entidade está apresentando os resultados dos oito meses de atividades do aplicativo aos órgãos que ainda não aderiram. “Estamos compartilhando as experiências que tivemos e lançando a proposta de que os órgãos possam aderir ao uso do aplicativo em suas rotinas de trabalho”, afirmou. Segundo ela, até agora a adesão ao aplicativo foi feita pelo Ministério Público Federal, Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e Batalhão de Incêndios Florestais do Corpo de Bombeiros.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários




Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido!