23 barras de ouro, avaliadas em $1,5 milhão, são apreendidos em destroços de avião que caiu

De acordo com o delegado, o monomotor saiu do município de Itaituba, no estado de Pará, com destino a Manaus- foto: Erlon Rodrigues

Policiais civis da equipe de investigação da Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Itacoatiara, sob o comando do delegado Paulo César Barros, apreendeu 23 barras de ouro, avaliados em R$ 1,5 milhão, durante as buscas nos destroços do monomotor de matrícula PR-RCJ, que caiu na manhã de quarta-feira (16), em uma área de mata nas proximidades da comunidade São Francisco do Pair, zona rural de Itacoatiara, deixando duas vítimas fatais.

De acordo com o delegado, o monomotor saiu do município de Itaituba, no estado de Pará, com destino a Manaus. Dentro da aeronave estavam o piloto Antônio Renan Azevedo e o copiloto José Souza de Oliveira, que tinham, respectivamente, 28 e 47 anos. Os destroços do monomotor foram encontrados por populares da Comunidade São Francisco do Pair, distante 70 quilômetros em linha reta de Itacoatiara.

“Fomos acionados pelos moradores da comunidade para averiguarmos a situação. Descolocamos dois policiais civis da DEP, juntamente com cinco bombeiros lotados na 1ª Companhia Independente de Bombeiros Militar, de Itacoatiara. No lugar, um garimpeiro de 29 anos encontrou, no momento das buscas, uma caixa de ferramentas em meio aos destroços, que ele afirmou ser dele. Dentro do objeto encontramos as barras de ouro que, somadas, totalizam 9,5 quilos do elemento químico”, relatou a autoridade policial.

O titular da DEP explicou que o garimpeiro foi conduzido à unidade policial, onde explicou aos policiais que era proprietário da mercadoria encontrada. Ele argumentou que havia contratado as vítimas do acidente aéreo para realizar o transporte do material. O homem afirmou, ainda, que possui garimpos no Amazonas e Pará.

“Por questões de segurança, solicitamos o apoio do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera) e trouxemos na noite de ontem (17) as barras para o prédio da Delegacia Geral, em Manaus. O garimpeiro também foi conduzido para prestar depoimento sobre a procedência do material. Ele deve apresentar o documento comprovando que o ouro provém de um garimpo legalizado, caso contrário, o Inquérito Policial (IP) será instaurado para investigar a situação. As barras de ouro foram apreendias e ficarão à disposição da Justiça”, argumentou Barros.

Queda da aeronave

Conforme o delegado, os corpos das vítimas foram levados ao Hospital José Mendes, em Itacoatiara, e posteriormente encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML). As equipes do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), da Força Aérea Brasileira (FAB), sobrevoaram o local do fato e estão investigando as circunstâncias do acidente.

Garimpos

O delegado Mateus Moreira, diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI) da Polícia Civil do Amazonas, ressaltou que denúncias relacionadas a delitos cometidos em garimpos devem ser formalizadas nas delegacias das respectivas regiões onde esses garimpos estão situados. “Nós compartilhamos essas investigações com a Polícia Federal (PF), para que ela também tome as providências cabíveis sobre a extração ilegal de minério. Todas as informações são controladas pelos policiais civis para averiguar a veracidade de cada ocorrência”, pontuou o diretor do DPI.

Com informações da assessoria