Ações do ‘Outubro Verde’ promove webpalestra para profissionais de saúde da SES-AM

Foto: Mayara Viana/SES-AM

A rede estadual de saúde, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), vai intensificar suas ações de testagem e de conscientização da população sobre o diagnóstico de sífilis neste mês, em razão das atividades do ‘Outubro Verde’. Com o tema “Sífilis não! E aí, testou?”, a campanha de 2020 chama a atenção para a prevenção e tratamento da doença, principalmente entre o público jovem.

A primeira ação será uma Webpalestra para profissionais dos 62 municípios do estado nesta terça-feira (6). Os temas abordados serão “Critérios de Notificação da Sífilis Congênita na Maternidade”; “Manejo da criança exposta à Sífilis” e “Manejo da Sífilis Congênita”. A palestra será transmitida das 10h às 12h.

A palestra será realizada pela Drª Angélica Espinosa Miranda, da Coordenação Geral de vigilância das Infecções Sexualmente Transmissíveis, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde.

Entre os dias 14 e 16 das 8h às 17h, a Coordenação Estadual de IST/Aids e Hepatites Virais vai ofertar, na sede da SES-AM, testagem para sífilis no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) itinerante. Essa ação será voltada para servidores e familiares dos servidores da secretaria.

Testes – Durante este mês, o CTA da Policlínica Gilberto Mestrinho, no Centro de Manaus, também vai intensificar suas testagens. As outras unidades que fazem testes para sífilis na rede estadual são: Policlínica Antônio Aleixo e o Centro de Atenção Especializada a Melhor Idade (CAIMI) Ada Viana.

A coordenadora estadual de IST/Aids e Hepatites Virais, da SES-AM, Vanessa Homobono, explica que quando o exame é positivo, a pessoa é orientada e encaminhada para o tratamento, que é realizado exclusivamente na rede municipal, nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

“Uma vez positivando, ele é encaminhado para qualquer Unidade Básica de Saúde que vai ter o tratamento de saúde. Ele vai ser cadastrado porque tem que ser notificado para a vigilância e após a notificação, ele já recebe o tratamento”, explica Vanessa, ressaltando que além das três unidades do Estado, o teste para sífilis também é realizado em qualquer UBS.

Municípios – Os municípios também estão com programação especial durante este mês. Em Anamã, por exemplo, será feita busca ativa de pessoas que nunca realizaram os testes, além de atividades informativas sobre a doença. A cidade também irá intensificar os testes de rotina.

Em Presidente Figueiredo, entre 21 e 25, 14 UBSs do município irão oferecer à população em geral testagens rápidas de HIV, sífilis, hepatites “B e C”. Também será realizada palestra sobre a doença, panfletagem e distribuição de lubrificantes e preservativos masculinos e femininos.

Realizarão ações semelhantes os municípios de Uarini, Lábrea, Rio Preto da Eva, Barreirinha, Atalaia do Norte, Eirunepé, Humaitá, Iranduba e Carauari.

A doença – A Sífilis é uma das infecções sexualmente transmissíveis (IST) mais comuns, com cerca de 6 milhões de novos casos a cada ano. Se uma mulher grávida infectada não receber tratamento precoce adequado pode transmitir a infecção para o feto, resultando em baixo peso ao nascer, nascimento prematuro, aborto, natimorto e manifestações clínicas precoces e tardias (sífilis congênita).

Segundo a Coordenação Estadual de IST/Aids e Hepatites Virais, atualmente, a testagem e tratamento da sífilis na população feminina e nas gestantes é mais efetiva que no público masculino e entre adolescentes. Por isso é essencial que esta população seja alcançada pela oferta de testagem e tratamento, uma vez que as taxas de sífilis nos jovens permanecem crescentes.

Transmissão e prevenção – A sífilis é transmitida por meio das relações sexuais desprotegidas, sangue ou produtos sanguíneos (agulhas contaminadas ou transfusão com sangue não testado), da mãe para o filho em qualquer fase da gestação ou no momento do parto (sífilis congênita) e pela amamentação.

A sífilis tem tratamento e pode ser prevenida de forma simples, com o uso de preservativo, testagem regular para diagnóstico precoce e tratamento adequado em tempo oportuno.

Outras atividades – Divulgação de material informativo/educativo para a população via mídia social; distribuição de preservativos e gel lubrificante para a população; palestras; rodas de conversas e testagem rápida em escolas de ensino médio para alcance do público adolescente (parceria com Programa Saúde nas Escolas).

Dia D – O 3º sábado do mês de outubro foi instituído como Dia Nacional de Combate à Sífilis e à Sífilis Congênita por meio da Lei nº 13.430/2.017. Este ano, a data será comemorada no dia 17.

(*) Com informações da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM)