Adolescentes do socioeducativo fazem cursos de preparação para mercado de trabalho

Foto: Chamel Flores/Sejusc

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) firmou parceria com a Associação Beneficente O Pequeno Nazareno, que levará cursos profissionalizantes, a partir da próxima segunda-feira (1°), a três centros socioeducativos do estado do Amazonas: Senador Raimundo Parente, no bairro Cidade Nova 2, zona norte; Internação Feminina e Assistente Social Dagmar Feitosa, ambos localizados no bairro Alvorada 1, zona centro-oeste.

O acordo de cooperação foi celebrado na última quinta-feira (27), na sede da Sejusc, no bairro Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus, tendo a assinatura do secretário titular da Sejusc, William Abreu, da secretária executiva de Direitos da Criança e do Adolescente da Sejusc, Edmara Castro, e Tommaso Lombardi, diretor da Associação Beneficente O Pequeno Nazareno.

De acordo com o secretário William Abreu, é importante firmar parcerias como esta, pois os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas precisam de novas perspectivas de vida e, com os cursos profissionalizantes, podem almejar novos sonhos e caminhos. Ele salienta que o acordo celebrado reforça ainda mais o sistema e até outros programas, como o #Conectados, que visa capacitar jovens que cumpriram medidas socioeducativas nas unidades do Estado e buscam a ressocialização.

A secretária executiva de Direitos da Criança e do Adolescente da Sejusc, Edmara Castro, destaca que o projeto deve ser estendido para outras unidades em breve. “É um Acordo de Cooperação muito importante porque ele traz oportunidades para os adolescentes do sistema socioeducativo. Por enquanto, ele vai chegar em apenas três unidades pela questão do recurso, mas com certeza é um projeto-piloto a ser abrangido para as demais unidades”.

O diretor do Pequeno Nazareno, Tommaso Lombardi, destacou que a parceria vai trazer cursos com duração de oito meses, dando oportunidades de um novo futuro para adolescentes, sendo voltados à natureza pedagógica, pessoal, profissional e tecnológica.

“Para nós, é de suma importância dar essa oportunidade àqueles que têm mais dificuldade em conseguir alcançar esse objetivo. Podemos dizer que sem essa preparação e sensibilização os jovens teriam dificuldades em uma entrevista de emprego no mercado de trabalho e, muitas das vezes, nem acreditam que podem exercer determinado trabalhos. Os cursos ajudam a despertar o conhecimento e desenvolver o próprio o caminho”, frisou.

Com informações de assessoria