Aluno faz ameaça, sugere ter um atentado na escola e é detido pela polícia, em Manaus

Uma ameaça divulgada em grupos de WhatsApp levou a polícia a fazer uma ação no Instituto de Educação do Amazonas (IEA), na avenida Ramos Ferreira, Centro. Foto: Divulgação

Uma ameaça divulgada em grupos de WhatsApp levou a polícia a fazer uma ação no Instituto de Educação do Amazonas (IEA), na avenida Ramos Ferreira, Centro, nesta quinta-feira (14).

As mensagens causaram pânico entre estudantes, pouco mais de 24 horas após o massacre numa escola estadual em Suzano, na Grande São Paulo, que terminou ontem com 8 pessoas mortas e os 2 atiradores, que se mataram depois.

Ensino médio

A ameaça teria partido de um aluno do segundo ano do ensino médio, de 17 anos, que anunciou cometer um atentado no IEA nos mesmos moldes do Suzano. A Polícia Militar do Estado do Amazonas (PMAM) foi acionada para apurar o ocorrido na unidade de ensino e uma equipe do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) esteve no local.

O jovem foi levado à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai). A ameaça foi compartilhada com vídeos do massacre de ontem, em São Paulo, fazendo relações com o IEA. No grupo de WhatsApp, o suspeito chegou a parabenizar os dois homicidas suicidas de São Paulo.

O autor da incitação ao crime foi identificado e ouvido por policiais militares da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Ele deve ser apresentado juntamente com outro estudante na Deaai.

Mensagens

Na mensagem compartilhada, o rapaz detido para investigação sugere a possibilidade do mesmo crime brutal ocorrer no IEA. A Secretaria de Educação (Seduc) está apurando a ocorrência e informou que a diretora chamou a polícia, por precaução, e que uma nota com mais detalhes será divulgada.

Fonte: Portal Marcos Santos