Amapá entra no 4º dia de apagão que atinge 89% da população

Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

Os amapaenses vão continuar ser energia elétrica pelo menos até a tarde desta sexta-feira. O novo prazo foi informado pelo Ministério de Minas e Energia nessa quinta-feira.

85% da população do Amapá está sem luz desde 21h de terça-feira, quando um transformador da subestação de Macapá – a única que conecta o estado ao sistema nacional – explodiu. O incêndio atingiu também um segundo transformador em funcionamento.

Um dos equipamentos já foi reparado e havia expectativa do restabelecimento de parte da distribuição de energia nessa quinta-feira. Mas testes identificaram que o óleo do transformador foi contaminado e precisa ser purificado. A Força Aérea Brasileira faz o transporte das máquinas de filtragem de Belém para capital amapaense.

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que, após o funcionamento deste transformador, a energia será restabelecida em até 70% da sua carga total, de 250 megawatts.

A energia será restabelecida 100% só daqui a 15 dias, quando um segundo transformador deve chegar a Macapá. Ele está em Laranjal do Jari, sul do Amapá, e será transportado de balsa.

A segurança energética do estado só estará garantida, segundo o ministério, em um mês, com a montagem do terceiro equipamento enviado de Boa Vista, Roraima.

Na subestação incendiada, havia um terceiro transformador – que estava parado com defeito desde dezembro do ano passado. A manutenção dos equipamentos cabe à empresa de transmissão, a Isolux, contratada pelo governo federal.

De acordo com o ministro Bento Albuquerque, o operador nacional do sistema já abriu investigação para apurar as responsabilidades.

A falta de energia afetou outros serviços essenciais, como o abastecimento de água. Também há filas em postos de gasolina e supermercados. A advogada amapaense Flávia Calado está em Macapá e narrou a situação na cidade.

Serviços afetados

O Governo do Amapá informou que junto com o Exército alimenta a cada 6 horas todos os sistemas isolados de geração de energia dos hospitais e do sistema penitenciário. Estado também busca retomar os serviços de captação e distribuição de água, que foram afetados pelo apagão.

O prefeito de Macapá, Clécio decretou estado de calamidade pública e autorizou a volta do funcionamento 24 horas dos postos de combustíveis. Por causa da pandemia de Covid-19, o funcionamento estava com horário restrito.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, 14 dos 16 municípios do estado foram afetados. O governo amapaense afirma que o apagão atinge 13 municípios: Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari não foram afetados. Os municípios ficam no sul do estado e possuem sistemas próprios de distribuição.

As informações são da Agências Brasil