Amazonino defende medidas rápidas para ajudar famílias que sofrem com efeitos econômicos e sociais da pandemia

Foto: Aguilar Abecassis

O candidato a prefeito de Manaus pela Coligação Juntos Podemos Mais, Amazonino Mendes, chamou a atenção para o acirramento da crise econômica a partir do próximo ano, como consequência da pandemia de Covid-19, atingindo em especial às famílias mais carentes. Ele disse que a falta de alimento aos mais necessitados é uma preocupação, inclusive já manifestada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Conforme divulgado pela ONU, o número de pessoas com fome deve mais que dobrar no mundo até o fim do ano. O documento “O Vírus da Fome: como o coronavírus está potencializando a fome em um mundo faminto”, lançado pela Oxfam, também alerta para o problema e ressalta que o Brasil está entre os prováveis epicentros da fome no mundo, juntamente com Índia e África do Sul.

Amazonino Mendes (PODEMOS) reitera que, a partir de janeiro de 2021, com o possível encerramento do auxílio emergencial disponibilizado pelo governo federal durante a pandemia, o drama social no Brasil poderá aumentar, caso os gestores públicos não criem alternativas para amenizar o impacto social e econômico.

“O que vem por aí pode ser muito grave para o Amazonas e para Manaus. Será preciso a adoção de medidas céleres para conter a epidemia da fome”, afirmou. Caso seja eleito prefeito de Manaus, ele disse que esta será a sua primeira preocupação. O ex-governador lembrou que no seu Plano de Governo está prevista a reativação do Programa Direito à Vida, idealizado em sua gestão como governador na década de 1990, antes mesmo da criação do Bolsa Família pelo governo federal.

“Temos que criar alternativas urgentes para incrementar a ajuda financeira a quem precisa. Não se pode virar às costas para o problema”, reforçou.

O cartão Direito à Vida beneficiou mais de 100 mil famílias em vulnerabilidade social no Amazonas, na época. Os beneficiários recebiam a quantia de R$ 30 por mês (o equivalente hoje, em valores corrigidos, a R$ 120).

No Plano de Governo de Amazonino Mendes, na área de desenvolvimento social, está também prevista a implantação de ações específicas para resgate das famílias que estão em situação de rua; e realizar mutirões itinerantes de atendimento em diversas áreas da cidade, reunindo segmentos como saúde, emissão de documentos e oferta de trabalho.

O candidato também afirmou que pretende ampliar o Programa de Habitação para famílias de baixa renda, em parceria com o governo federal e entidades representativas dos trabalhadores; promover políticas de inclusão social, combatendo o preconceito de raça, gênero e religião; ampliar a rede de atendimento e apoio social ao idoso; ampliar o cadastro de famílias beneficiadas com tarifa social de água e energia; e fortalecer a rede de cuidados a Pessoa com Deficiência.

Com informações da assessoria*