Anvisa alerta para falsa vacina contra Covid-19

Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, alertou sobre a possível comercialização de uma falsa vacina contra a covid-19, por uma empresa em Niterói, na região metropolitana do Rio. A Polícia Federal investiga o caso e cumpriu um mandado de busca e apreensão na sede da empresa que atua no ramo hospitalar.

A vacina teria sido anunciada como sendo a de Oxford, que assim como as outras em testagem, ainda não foi liberada e continua na fase de pesquisas.

A Anvisa esclareceu que não há no momento nenhum imunizante autorizado para ser comercializado e utilizado pela população. Ainda de cordo com a agência reguladora, até que isso aconteça, ninguém deve comprar e utilizar qualquer vacina que tenha a alegação de prevenir a covid-19.

A Polícia Federal informou que a empresa investigada não possui qualquer tipo de autorização ou de convênio com as autoridades sanitárias ou com a empresa desenvolvedora da vacina e a suspeita é de que estaria se aproveitando da pandemia para criar a ilusão da existência da vacina. Ainda não há informação se alguma dose falsa foi de fato comercializada.

Os responsáveis podem ser enquadrados por fraude e falsificação de produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais, com pena de reclusão de 10 a 15 anos.

O alerta feito pela Anvisa esclarece ainda que todas as vacinas contra o coronavírus no Brasil estão sendo usadas exclusivamente em estudos clínicos sem permissão para venda e distribuição.

No caso da vacina de Oxford, desenvolvida em parceria com o laboratório Astrazeneca, ela será produzida no país pela Fundação Oswaldo Cruz.

Em uma coletiva de imprensa do Ministério da Saúde na ultima sexta-feira (09), a presidente da Fiocruz, Nisia Trindade, explicou o cronograma da vacina, que inclui a absorção da tecnologia e a previsão de mais de 100 milhões de doses já no primeiro semestre de 2021.

A Anvisa pede que situações desse tipo ou outras denúncias envolvendo infrações sanitárias, como a venda de medicamentos não autorizados, sejam informadas no site da agencia, no canal da ouvidoria ou pelo telefone 0800 642 9782.

As informações são da Agência Brasil