Apenados do semiaberto voltam a fazer curso pelo Cetam

Foto: Cleudilon Passarinho/Cetam

Estar em uma sala de aula, aprendendo uma nova profissão, é visto como um reinício de vida para 18 apenados do regime semiaberto. Eles estão inscritos no curso de qualificação profissional de Manutenção e Instalação de Equipamentos de Refrigeração ofertado pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). As aulas estavam paralisadas por conta da pandemia do novo coronavírus e foram retomadas nesta segunda-feira (17).

O curso faz parte do “Projeto Transformar”, uma parceria entre as secretarias de Estado de Administração e Gestão (Sead), de Administração Penitenciária (Seap) e do Cetam. A iniciativa tem o objetivo de qualificar os apenados, ensinando-lhes um ofício por meio do Projeto Cetam no Governo. Enquanto estiverem cumprindo pena no regime semiaberto, ajudarão o Governo do Amazonas a economizar, recuperando equipamentos que, fatalmente, virariam lixo.

Após assistir à aula ministrada pelo professor Orlando Freire, instrutor do Cetam, o apenado João (nome fictício), de 43 anos, falou de sua satisfação por estar aprendendo uma nova profissão. Após passar seis anos no regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), ele está há um ano no semiaberto. “O fato de eu usar tornozeleira eletrônica dificulta, pois dificilmente alguém dá uma chance a presidiário”, lamentou.

O aluno revelou o desejo de ter seu próprio negócio. “Creio que esse curso de Refrigeração irá me ajudar muito”, falou ele, que diz possuir experiência como motorista de caminhão e de empilhadeira. “Também tenho curso de soldador, mas quero fazer outro mais abrangente de solda TIG.”

O curso de Manutenção e Instalação de Equipamentos de Refrigeração tem 160 horas. Acontecerá durante 40 dias, com turmas de manhã e à tarde, com 20 alunos em cada uma. O foco das aulas é ensinar o conserto de equipamentos – bebedouros, condicionadores de ar e freezers – a apenados do semiaberto. Todos receberão certificado.

Projeto social

O “Transformar” foi criado em 2018, com foco no desenvolvimento sustentável, por meio de parcerias entre órgãos da administração estadual. Utilizando boas práticas de logística, o projeto oferece qualificação técnica a apenados do sistema carcerário. A aprendizagem de um novo ofício auxilia na reintegração social e torna possível a recuperação e reutilização de bens móveis públicos.

A iniciativa reflete na redução do gasto, prolonga a vida útil de equipamentos e, consequentemente, colabora para diminuir o impacto ambiental. Em 2019, o “Transformar” trouxe uma economia de mais de R$ 317 mil ao Governo do Amazonas com a recuperação de 201 equipamentos danificados.

As informações são da assessoria