Após comentar caso de estupro, Rodrigo Constantino é demitido em mais dois veículos

foto: divulgação

O jornalista Rodrigo Constantino viu se reputação profissional decair de um dia para o outro após comentário sobre o caso de estupro da produtora Mariana Ferrer. O comentarista que atuava em diversos veículos viu seus contratos serem rescindidos um atrás do outro. Primeiro a rádio Jovem Pan, depois grupo Record, e as duas últimas, segundo o UOL partiu da Rádio Guaíba e o jornal Correio do Povo.

Tanto no Correio do Povo, quanto na Rádio Guaíba, Constantino havia entrado há pouco tempo, em setembro e outubro respectivamente. No entanto, o comentário de Constantino, ainda que precise ser analisado na íntegra, gerou uma repercussão negativa de grande proporção, o que não deixou outras escolha aos veículos.

Em nota oficial a Rádio Guaíba declarou o seguinte. “Diante dos fatos recentes e em sintonia com a decisão tomada pelo Grupo Record, a Rádio Guaíba e o jornal Correio do Povo optaram por rescindir o contrato com o colunista Rodrigo Constantino, que ocupava espaços semanais na rádio e também no jornal”.

Entenda o caso

O comentarista, em uma live, abordou o caso da influenciadora que acusou um empresário de estupro. Constantino afirma que se sua filha fosse estuprada, perguntaria a ela quais foram as circunstâncias em que o fato teria acontecido e, dependendo de como foi, não denunciaria quem a estuprou.

No mesmo dia, após virar polêmica os comentários, a Jovem Pan anunciou o desligamento do comentarista dando início a sequência de demissões.  Constantino afirma que sua fala foi tirada de contexto.

Veja o comentário de Constantino sobre o caso Mariana Ferrer: 

Portal Manaus Alerta