Após roubar, dupla chegou a discutir se matavam ou não pai de família na AM-010

Eles relataram que utilizaram uma corda para estrangular a vítima- fotos: Lana Honorato/Montagem Manaus Alerta

Foram apresentados na tarde de hoje (13), o casal Alexandre Florêncio da Silva, 24, e Meirivane Martins de Oliveira, 22, presos após 15 dias de investigações, em cumprimento a mandado de prisão preventiva por latrocínio do taxista Márcio Luiz Macedo da Silva, 46. O corpo da vítima foi encontrado no dia 28 de fevereiro deste ano, no quilômetro 35 da rodovia estadual AM-010.

De acordo com informações do delegado Adriano Felix, titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), o casal foi interceptado pelas equipes da Derfd na madrugada desta terça, na Comunidade Bom Jesus, situada no quilômetro 32 da rodovia estadual AM-254, no município de Autazes.

Diligências

Durante as diligências, os policiais civis obtiveram informações de que o casal estaria residindo em um imóvel na Comunidade Bom Jesus. A autoridade policial destacou que no momento da abordagem, Alexandre tentou empreender fuga do local. Diante da reação do suspeito, foi efetuado um disparo de arma de fogo pela equipe da Derfd, que atingiu a perna esquerda do mesmo, que foi levado ao hospital, onde recebeu atendido médico e liberado em seguida.

Dinâmica do crime

Na noite do último dia 26 de fevereiro, Márcio estava no ponto de táxi onde trabalhava, situado na avenida Codajás, bairro Cachoeirinha, quando deixou o local, por volta das 18h30, para efetuar uma corrida. Os passageiros eram Alexandre, Meirivane e um outro criminoso, identificado como Anderson Ferreira de Almeida, 24, o “Chucky”, que está sendo procurado pela polícia.

Na ocasião do crime, eles, em posse de uma arma de fogo, anunciaram o roubo durante a corrida. O carro do taxista, modelo Fox, de placas NOO-8531 e cor branca, levado pelo trio, foi encontrado no dia 3 de março deste ano, abandonado em Autazes.

Táxi roubado

“Após o crime, Alexandre, com o intuito de camuflar o táxi roubado, mudou as placas e descaracterizou algumas pinturas do veículo. O infrator deixou o carro na garagem do pai de Meirivane e, depois de alguns dias, passou a usar o carro como se fosse dele e acabou abandonando o veículo após colidir em uma cerca, no último dia 3 de março”, disse Felix.

Depoimento

Durante depoimento na especializada, Alexandre e Meirivane confessaram envolvimento no crime. Eles relataram que utilizaram uma corda para estrangular a vítima. O casal argumentou que, inicialmente, a intenção do trio era subtrair o carro do taxista para cometer outros roubos a veículos em Manaus e, posteriormente, vender os veículos em Autazes.

Discussão sobre matar ou não

Os jovens disseram, ainda, que durante a ação criminosa, Anderson e Alexandre tiveram uma discussão sobre matar ou não a vítima, já que Anderson queria apenas roubar o taxista e Alexandre, além de roubar, também decidiu matá-lo. Depois do delito, “Chucky” desceu do veículo no bairro Armando Mendes, e o casal seguiu para Autazes.

Pai de família

“Durante a ação criminosa, Alexandre resolveu matar esse taxista, esse pai de família, de forma bárbara. Na ocasião, o trio solicitou a corrida do bairro Cachoeirinha, até o bairro Mauazinho. No momento em que chegaram ao local solicitado, os criminosos amarraram o taxista e o levaram para o quilômetro 35 da AM-010 e lá tiraram a vida de um pai de família”, declarou Adriano Felix.

Mandados de prisão

Os mandados de prisão em nome de Alexandre e Meirivane foram expedidos pelo juiz Luis Alberto Nascimento Albuquerque, da 1ª Vara Criminal. O delegado informou que durante as prisões dos infratores os policiais encontraram com eles o tablet subtraído da vítima.

Passagem pela polícia

Após serem conduzidos à delegacia, foi constatado, durante consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), que Alexandre possui passagem pela polícia por roubo majorado.

Indiciamento

Alexandre e Meirivane foram indiciados por latrocínio. Ao término dos procedimentos cabíveis na delegacia, Alexandre será conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) e a companheira dele será levada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF).

Procurado

Felix informou que as investigações em torno do caso irão continuar até que Anderson Ferreira de Almeida, 24, o “Chucky”, seja localizado e preso. Para finalizar, a autoridade policial pediu a colaboração da sociedade para localizar o infrator. Quem puder ajudar com informações sobre o paradeiro de “Chucky”, entrar em contato com a equipe da Derfd pelo número do disque-denúncia da especializada: (92) 99962-2187. A autoridade policial assegurou o sigilo da identidade dos informantes.

Com informações da assessoria