Polícia

Após ser preso, advogado ameaça de morte delegada plantonista e investigador, em Manaus

Ao término dos procedimentos cabíveis, Luciano foi levado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, na tarde de ontem, onde foi liberado.
Redação
Postado por Redação

O advogado Luciano Eduardo de Sousa, de 42 anos, foi preso em flagrante por lesão corporal, vias de fato, ameaça, desacato, injúria, resistência e desobediência, na manhã de ontem (28), nas dependências do 19° Distrito Integrado de Polícia (DIP), Zona Oeste de Manaus. Segundo informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil, em vários momentos o advogado saiu e voltou para unidade policial, ameaçando a delegada plantonista de morte, pois o mesmo a conhecia e “daria o troco”. Ele ameaçou também um investigador, que tentou acalmá-lo.

Por meio da assessoria, o delegado titular do 19º DIP, Paulo Benelli, informou que o advogado foi até a unidade policial para registrar o roubo da motocicleta que pertencia ao mesmo, entretanto, o advogado aparentava estar visivelmente embriagado e supostamente alterado por substâncias ilícitas não conseguindo informar a numeração ou modelo do veículo.

Os policiais plantonistas informaram que teriam que ter a numeração da placa para fazer o registro em Boletim de Ocorrência (BO) e fazer a restrição do automóvel, além, de fazer um chamado via rede rádio, ainda orientaram o autor dos delitos a procurar a Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv), porém, foram agredidos com palavras de baixo calão, vias de fato e ameaças.

Ainda conforme a PC, o advogado que é ex – investigador da Polícia Civil, alegou que pagava o salário dos servidores e que eles teriam que dar conta do veículo naquele momento. Em vários momentos o advogado saiu e voltou para unidade policial, ameaçando a delegada plantonista de morte, pois o mesmo a conhecia e “daria o troco”. Um investigador do 19º DIP tentou conversar com o mesmo, porém também foi ameaçado de morte quando saísse da unidade policial.

A Polícia Civil informou também que houve luta corporal, e então Luciano tentou agredir um segundo delegado e tentou retirar a arma do investigador. Durante as agressões o investigador foi atingido por um golpe no tendão, e precisou ser conduzido ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias, onde levou alguns pontos e afastamento médico por dez dias.

Após toda resistência física, o advogado foi posto em cela, onde tentou arrombar o local. O ato foi presenciado por plantonistas e por dois advogados do Conselho de Prerrogativa da Ordem dos Advogados do Brasil do Amazonas (OAB/AM).

Expulso

Luciano, que é ex – investigador da Polícia Civil, foi expulso da instituição em 2010, após ter sido indiciado pelo homicídio de um policial militar. Em consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) os policiais civis constataram que o advogado, já tem passagem por ameaça, lesão corporal e cárcere privado contra a ex-companheira, registrado em março deste ano.

Ao término dos procedimentos cabíveis, Luciano foi levado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, na tarde de ontem, onde foi liberado.

Comentários

comentários

Deixe um comentário