Assassinatos de pessoas negras sobem 11,5 % em 10 anos no Brasil

Foto: Divulgação/Exame

O assassinato de pessoas negras no Brasil teve um crescimento de 11,5% em 10 anos, segundo o estudo feito pelo Sistema de Informação sobre mortalidade. Os dados foram publicados no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública – FBSP.

De acordo com a Presidente da Comissão de Igualdade Racial da Ordem dos Advogados do Amazonas, Carolina Amaral, a violência contra a população negra no Brasil é reflexo de um racismo estrutural.

Segundo o índice de Vulnerabilidade Juvenil a violência de 2017, a cada cem mil homicídios registrados no Amazonas 73,9% acontece com jovens.

A Doutoranda e Membro do Colegiado Negro em Antropologia Social da Universidade Federal do Amazonas, Glacy Ane Araújo de Souza dos Santos, ressalta a importância do ensino Afro – Brasileiro nas escolas como uma maneira a contribuir com a diminuição do racismo.

“Chega de Violência e Extermínio de Jovens” é tema da  Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio de Jovens foi criada em 2008, durante a 15° Assembleia Nacional das Pastorais da Juventude do Brasil. A campanha se desenvolve em torno de três eixos principais: formação política dos jovens, com o objetivo de conscientizá-los sobre os debates a respeito de segurança pública e direitos humanos; Monitoramento dos meios de comunicação; e mobilizações de massa com realização de marchas e outras manifestações.

O coordenador Arquidiocesano da Pastoral da Juventude e professor de rede pública, Andrey Marcelo salienta que a pastoral tem por objetivo dar espaço e fazer com que o jovem sinta orgulho pelo o que ele representa na sociedade.

A pastoral luta contra o extermínio de jovens, tráfico humano e uso de drogas, redução da maior idade penal, e luta pelo direito ao lazer, segurança, educação e trabalho.

O racismo mata e a ignorância também.

As informações são da Arquidiocese de Manaus