Ataque a Bolsonaro obriga campanha de Alckmin a mudar estratégia

Segundo um integrante da campanha de Alckmin, as peças publicitárias com críticas ao capitão reformado do Exército serão suspensas até nova avaliação dos coordenadores © REUTERS

ataque sofrido por Jair Bolsonaro (PSL) nesta quinta-feira (6) obrigou a equipe de Geraldo Alckmin (PSDB) a fazer mudanças de última hora na estratégia que vinha adotando para desconstruir o adversário e tentar fazer o candidato tucano crescer nas pesquisas de intenção de voto.

Segundo um integrante da campanha de Alckmin, as peças publicitárias com críticas ao capitão reformado do Exército serão suspensas até nova avaliação dos coordenadores que assessoram o tucano.

As inserções -vídeos de 30 segundos que passam na TV ao longo do dia- serão substituídas por material que já está pronto.

No entanto, não houve tempo de fazer uma mudança imediata e peças que têm Bolsonaro como alvo ainda estão sendo veiculadas.

No início da noite desta quinta, foi ao ar o vídeo em que Bolsonaro aparece xingando a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Na quarta-feira (5), Alckmin havia mudado sua postura em relação ao adversário e fez críticas diretas a ele. Chamou-o de despreparado e disse que faria o possível para evitar que ele chegasse à Presidência.

Antes do episódio desta tarde, o tucano vinha sendo aconselhado por auxiliares a criticar mais duramente não só Bolsonaro, mas também o PT e Michel Temer.

O presidente da República divulgou vídeos nestas quarta e quinta mostrando que os aliados de Alckmin ainda têm cargos no governo do qual o candidato tenta se dissociar.

Aliados disseram que vão reforçar o discurso de que Alckmin foi contra o impeachment de Dilma Rousseff e defendeu a saída do PSDB do governo, apesar de um integrante do partido ainda estar na Esplanada dos Ministérios. Com informações da Folhapress.

Fonte: Notícias ao Minuto