BARBARIDADE: mulher arranca olhos e língua da filha de 5 anos com tesoura e é presa enquanto rezava 

foto: reprodução

Um crime bárbaro foi registrado pela Polícia Militar no Povoado de São Cristóvão, em Maravilha, Sertão de Alagoas. De acordo com a polícia, uma mãe que teria transtornos mentais matou a filha, uma menina de apenas 5 anos, e arrancou os olhos e a língua da criança com uma tesoura. A mulher foi identificada como Josimare Gomes da Silva, de 30 anos, e a criança era Brenda Carollyne Pereira da Silva, de apenas 5 anos.

De acordo com informações do TNH1, o crime aconteceu no último domingo e causou revolta na web devido os requintes de crueldade. Conforme o delegado Carlos Reis, a mãe da criança estava rezando quando os policiais chegaram ao local.

“Quando os militares chegaram ao local, a mãe estava rezando”, disse o delegado, acrescentando que a primeira suposição é de que o crime foi praticado durante um surto psicótico da mulher. Essas informações foram publicadas no site da Polícia Civil.

MPE pede internação de suspeita

O Ministério Público tomou conhecimento do fato que aconteceu, tendo sido a acusada, inclusive, presa em flagrante delito. No entanto, em virtude das circunstância que se apresentaram no fato, com fortes indícios de que a genitora da vítima possuía problemas psicológicos e psiquiátricos e que talvez no momento do crime estivesse inclusive em surto, o Ministério Público deixa, neste momento, de pedir sua prisão preventiva, mas considerando a periculosidade e a gravidade do crime, manifestou-se pela internação no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, bem como requereu a instauração de um incidente de insanidade mental para verificar, se de fato a acusada é portadora de problemas psicológicos e psiquiátricos e qual a extensão dessa doença, caso ela possua, bem como aguardamos agora a conclusão do inquérito policial para, com a sua chegada, manifestarmos ou pelo oferecimento da denúncia ou por outra manifestação jurídica cabível à espécie”, afirmou o promotor de Justiça, Kleytione Sousa, do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL).