Barraco no Twitter: famoso comemora morte de Paulo Henrique Amorim e é repreendido por Padre Fábio de Melo

426
Político comemorou a morte de Paulo Henrique Amorim e foi repreendido pelo padre Fábio de Melo (Reprodução)

O ex-deputado federal Xico Graziano ironizou a morte do jornalista Paulo Henrique Amorim e foi repreendido pelo padre Fábio de Melo.
A morte do jornalista Paulo Henrique Amorim, aos 77 anos, que trabalhava atualmente na Record, continua sendo um dos assuntos mais comentados pelos internautas nesta terça-feira, 10, dia em que foi anunciado o falecimento do comunicador após um infarte fulminante. Com algumas opiniões polêmicas e controversas, alguns políticos e anônimos chegaram a comemorar a notícia – um deles foi repreendido pelo padre Fábio de Melo.

Foi o caso do ex-deputado federal, ex-integrante do PSDB, professor, engenheiro agrônomo, e apoiador do presidente Jair Bolsonaro Xico Graziano, que utilizou suas redes sociais para celebrar a morte de Paulo Henrique Amorim, a quem ele chamou de “canalha”, e questionou qual será o destino da alma do apresentador.

“Quando morre um canalha me lembro das aulas de catecismo, em que o padre falava sobre o céu e o inferno. Aquilo me impressionava. Fazer o bem, ser cristão, em suma, era a receita para entrar na porta iluminada. Senão, o diabo nos esperava na escuridão. Onde baterá a alma de Paulo Henrique Amorim”, questionou o ex-deputado, que foi repreendido por Fábio de Melo.

“É assim que nós religiosos fomentamos e fazemos crescer o ateísmo. Anunciando um deus que é bem pior do que nós”, disse ele, rebatendo o comentário de péssimo gosto de Xico Graziano sobre Paulo Henrique Amorim.
Além do padre Fábio de Melo, outras personalidades também repudiaram o comentário do apoiador de Jair Bolsonaro.

“A dele (Paulo Henrique Amorim) eu não sei. Mas a sua, após esse comentário, e levando em conta sua própria crença (céu e inferno), certamente estará condenada a um sofrimento justo no inferno. Aqui, sua alma já é um lixo (esse seu comentário mostra isso). E se Deu há de varrer o lixo para o inferno”, rebateu o ex-deputado federal Jean Wyllys.

Já a antropóloga Debora Diniz escreveu: “Seu sarcasmo extrapola as fronteiras da civilidade e alcança a imoralidade. Desrespeitar o luto de outras pessoas é um ato indigno”.

José de Abreu também rebateu Xico, a quem chamou de “um pústula querendo uma boquinha no governo fascista”.

A ex-BBB Ana Paula Renault também manifestou-se repudiando a postagem do bolsonarita.

“Deveria ao menos colocar uma foto no perfil que te identifique realmente. Imagine você, se a morte vai lhe buscar, fica em dúvida e leva só o caráter para não perder a viagem? Triste fim”, disse.

Paulo Henrique Amorim morreu aos 77 anos nesta terça-feira, 10, após um infarte fulminante. O jornalista deixou um delegado de anos para a comunicação do Brasil, tendo passado pela extinta TV Manchete, a TV Globo, a TV Cultura, a Bandeirantes, a revista Veja e, desde 2003, ele estava na Record.

Vi no TV Foco