BBB 17: Polícia determina investigação sobre briga entre Marcos e Emilly

Marcos e Emilly.

 Delegada do Rio de Janeiro solicitou à Rede Globo imagens da discussão entre o casal

A última briga entre Marcos e Emilly, que aconteceu no último sábado, 08, virou caso de polícia. A Diretora da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher do Rio (Deam), Marcia Noeli Barreto, determinou o registro de ocorrência após ver as imagens de mais uma briga entre os dois, levando em conta principalmente o momento quando a jovem diz ter sido machucada pelo médico. 

Viviane da Costa Ferreira Pinto, delegada da Delegacia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá, vai acompanhar o caso e solicitar à emissora as imagens da discussão, tudo isso para apurar se Emilly sofreu agressão física. ”A tortura psicológica que ele pratica é considerada violência doméstica, se enquadra na Lei Maria da Penha. É assim que tudo se inicia. Ele não a ameaçou de morte, por exemplo, mas houve constrangimento tão forte, que ela ficou acuada”.

Nas última semanas, Marcos tem se comportado de maneira mais agressiva, principalmente em relação a seu affair dentro da casa, Emilly. O brother também confrontou Marinalva e Ieda com gritos, dedo na cara e ameaça de perseguição dentro do programa.

De acordo com diretora do Deam, nas atuais circunstâncias, somente Emilly pode registrar uma denúncia. ”Se houver agressão física, qualquer pessoa pode intervir com o registro em qualquer delegacia. Muitas mulheres não registram porque não têm consciência de que são vítimas desse tipo de violência. Uma relação como essa não tem amor. Não pode ser amor. Encostar na parede, constranger e depois dizer que ama é o início de uma situação mais grave ainda. Se não interromper, pode ter certeza que fica cada vez pior”.

No último domingo, Tiago Leifert comentou sobre o clima dentro da casa e, principalmente, na relação entre Marcos e Emilly. ”O que nós vimos hoje acontece no mundo real, porém sem as câmeras. Uma discussão como a que aconteceu pode levar a uma agressão física. E isso não é admissível nem no programa nem na vida real… O Big Brother está preparado para intervir e proteger os participantes. A gente falou com a Emilly e reforçou o que é óbvio: ela pode e deve procurar a produção do programa a qualquer momento”.

Fonte: UAI