Bolsonaro chama ministro da Justiça e quer reação após prisão de Queiroz

Foto: Reprodução

No dia em que o policial militar aposentado Fabrício Queiroz foi preso em uma operação desencadeada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) em conjunto com a Polícia Civil e o Ministério Público de São Paulo (MPSP), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez eco às críticas do seu filho e ex-chefe de Queiroz, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), segundo quem a operação é, na realidade, uma forma de atacar o presidente.

Por isso, o presidente convocou o ministro da Justiça, André Mendonça, e já fez contato com outros nomes da área jurídica do governo para reuniões, todas elas fora da agenda oficial. Inicialmente, na agenda do chefe do Executivo constava apenas uma reunião com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e a cerimônia de posse dos novos embaixadores no Brasil.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Portal Manaus Alerta