Candidaturas LGBTI+ nas eleições municipais de 2020, saltam 86%, mas esbarram em verba curta e preconceito

Foto: Pereira/Metrópoles

Pressionadas pelo crescimento de uma bancada conservadora que aposta no enfrentamento, lideranças identificadas com a pauta LGBTI+ estão buscando nas urnas um espaço de resposta. Nas eleições municipais de 2020, há um aumento expressivo no número de candidatos que militam nessa causa, mas o conservadorismo na política ainda é uma barreira que gera dificuldades, como a falta de acesso a verbas para fazer campanha. Além disso, a violência em suas várias formas é um risco que acompanha políticos vistos como, mais do que adversários, inimigos por uma parcela da sociedade.

Mal havia começado a campanha, na última segunda-feira (5), o candidato a vereador em Curitiba Lucas Siqueira (PSB) e auxiliares foram atacados com ovos durante caminhada em um bairro da cidade. O candidato registrou um Boletim de Ocorrência na polícia.

“Eu estava numa das principais ruas da cidade, fazendo nossa campanha, que tem a pauta LGBT, toda a comunicação é voltada para isso. Estávamos com uma caixa de som com o volume autorizado pela lei. Eu com o microfone, andando e falando. Jogaram ovos em nós de uma sacada de um prédio”, relata ele ao Metrópoles.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Portal Manaus Alerta