Cantores sertanejos são criticados por excluir surdos de lives

Foto: Divulgação

Além do repertório de cada artista, o cenário, o figurino e a produção, todas as lives com show contam com a participação especial de um intérprete de línguas, visando a inclusão de deficientes auditivos na nova forma de fazer apresentações em meio à pandemia do coronavírus. Nessa última semana, porém, duas transmissões ao vivo de grandes nomes da música fugiram a regra e geraram críticas na comunidade de deficientes auditivos e de profissionais de Libras.

O shows de Wesley Safadão e Luan Santana, no sábado (20), e Luísa Sonza, na terça-feira (16), não tiveram a participação de nenhum profissional da área. Assim, pessoas da comunidade surda foram excluídas das lives. A medida, inclusive, contraria o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/2015), que no artigo 42, garante o acesso dessa comunidade “a programas de televisão, cinema, teatro e outras atividades culturais e desportivas em formato acessível”.