Cidades

Casal denuncia LGBTfobia após ser baleado na praça do Eldorado, em Manaus

Foto: Reprodução

Emanuel Medeiros Marinho de Almeida e seu namorado Jonas Nogueira foram baleados na noite da última sexta-feira (10) na Praça do Eldorado, no bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul de Manaus.

Segundo informações preliminares repassadas pelas vítimas, os dois foram perseguidos por um homem ainda não identificado que ficou muitos agressivo com a presença do casal, os persseguindo logo em seguida, realizando assim os disparos.

Jonas teve perfurações no pulmão e um dos tiros atravessou a vítima alvejando o ombro de Emanoel, que estava na garupa da moto.

Em nota, o Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema (IPCCB) repudiou o acontecido confirmando a informação do crime de ódio com um de seus colaboradores.

Confira a nota:

“O Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema (IPCCB) vem a público repudiar os crimes de lgbtfobia verbal e física sofridos por um membro de nossa equipe e seu companheiro, na noite de ontem (10), em Manaus.

Nosso colaborador, técnico de laboratório e educador comunitário de pares, e seu companheiro foram agredidos verbalmente por um homem armado e, quando deixaram o local, foram seguidos e covardemente baleados. Um deles está hospitalizado devido à gravidade dos ferimentos.

Esse crime não foi uma exceção. A violência contra a comunidade LGBTQIA+ nasce do conservadorismo cego e irracional e da intolerância de um Brasil que, segundo as estatísticas, registra a maior quantidade de crimes lgbtfóbicos no mundo. É urgente que políticas de segurança pública sejam voltadas à essa população.

Esperamos que os órgãos competentes investiguem e punam exemplarmente o responsável por mais este ato criminoso e cruel. Lgbtfobia é crime!

O IPCCB funciona como um consórcio firmado pela Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado ( FMT-HVD) com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e o Instituto Leônidas & Maria Deane (Fiocruz Amazônia), e trabalha ativamente na busca da melhoria da saúde e qualidade de vida da população LGBTIQA+ através de estudos voltados para esse público; e conta com valioso quadro de colaboradores desta comunidade que, assim como uma das vítimas, leva transformadora educação em saúde para seus pares.

Nossa total solidariedade e apoio às vítimas e suas famílias.”

O crime será investigado pela Delegacia Especializada em Ordem Política e Social (Deops), que trata de crimes de ódio contra o público LGBTQIA+ em Manaus.

Portal Manaus Alerta