Mundo

Caso do mal da ‘vaca-louca’ é confirmado no Reino Unido

Foto: Pexels

Autoridades sanitárias do Reino Unido confirmaram na última sexta-feira (17) um caso do mal da “vaca louca”, a encefalopatia espongiforme bovina (EEB).

A doença, que surgiu no país e ficou mundialmente conhecida após um surto entre as décadas de 1980 e 1990, voltou a figurar no noticiário após o Brasil confirmar ocorrências em Minas Gerais e Mato Grosso no início de setembro.

Vaca louca: relembre a doença que ficou conhecida nos anos 80 e 90, após surto no Reino Unido
De acordo com a Agência de Saúde Vegetal e Animal do Reino Unido (APHA, na sigla em inglês), a ocorrência se deu na região sudoeste da Inglaterra, em Somerset, e foi do tipo “clássico”, que geralmente se dá por contaminação, diferente do Brasil (entenda mais abaixo).

Em um comunicado, a agência disse que o caso não representa “nenhum risco para a segurança alimentar” e que o animal foi sacrificado. Desde 2014, os britânicos identificaram 5 casos de “vaca louca”.

A origem da doença ainda é desconhecida e a APHA afirmou que foram colocadas restrições de movimento na fazenda enquanto é realizada uma investigação.

O órgão disse ainda que comunicou o caso para a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) e para os parceiros comerciais do Reino Unido. “A situação não afeta a possibilidade de exportação de carne para outros países”, segundo as autoridades britânicas.

Como a vaca é contaminada?

Existem duas formas principais para o animal adquirir a doença:

  • caso de origem atípica: nele, naturalmente, o príon sofre uma mutação, se tornando infeccioso. Quanto mais velho o animal, maior a probabilidade disto acontecer;
  • contaminação: por meio do consumo de rações feitas com proteína animal contaminada, como por exemplo, farinha de carne e ossos de outras espécies. No Brasil, é proibido o uso deste tipo de ingrediente na fabricação de ração para bovinos.

Casos no Brasil

A confirmação dos casos de “vaca louca” no Brasil levaram a Arábia Saudita a restringir as importações de carne bovina de frigoríficos – 10 dias após o veto, os sauditas retomaram as compras.

A exportação de carne bovina para China está suspensa, cumprindo protocolo entre os dois países. A medida é temporária até que as autoridades chinesas concluam a avaliação das informações sobre os casos.

Até a última atualização da reportagem não havia notícias de bloqueios de exportação para o Reino Unido.

O surto nos anos 1980 e 1990

O primeiro grande surto da doença teve seu auge entre 1992 e 1993, quando foram confirmados quase 100 mil casos no Reino Unido. Estima-se que 180 mil cabeças de gado tenham sido afetadas e mais de 4 milhões de animais foram sacrificados na época.

Durante este período, o consumo de carne bovina ficou, inclusive, proibido naquele país. Com informações do G1.