Foto: Arquivo Pessoal

O quarto dia de julgamento popular referente à Ação Penal do caso Lorena, crime que ocorreu  no em 5 de julho de 2010, por volta da meia-noite no Condomínio Villa-Lobos, no bairro Parque 10 de Novembro.

Na ocasião Lorena estava acompanhada do filho menor do casal no apartamento quando após uma discussão entre ela e o ex-marido, Lorena teria sacado uma arma que levava na cintura e em seguida a arma teria sido tomada por Milton, que apontou para a cabeça de Lorena e efetuou o disparo, causando a morte instantânea da perita.

O Julgamento deste caso começou neste sábado (8), por volta das 10h30, no Fórum Ministro Henoch Reis, com o interrogatório do réu, Milton César Freire da Silva.

O interrogatório se estendeu até as 20h, quando o juiz presidente da sessão, Mateus Guedes Rios, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, suspendeu os trabalhos, que serão retomados às 9h deste domingo (9), com os debates.  O tempo estipulado é de 90 minutos para acusação e o mesmo tempo para defesa. Em caso de réplica e tréplica, cada parte terá direito a mais uma hora.

Até agora, foram ouvidas 13 pessoas. No 1º dia de júri, depôs o filho da vítima e outras quatro testemunhas de acusação. O filho ouvido também é filho de Milton César, e presenciou a discussão e a morte da mãe 10 anos atrás.