Caso Monte Horebe: “Sem corpo não há homicídio”, diz delegada sobre Sádia Reis

A delegada reforçou que a polícia trabalha com diversas hipóteses- foto: divulgação
Avatar
Postado por Lindivan Vilaça

“Sem corpo não podemos dizer se há homicídio e, até o momento, as investigações em torno do desaparecimento continuam”, disse a titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), delegada Joyce Coelho, sobre o caso do desaparecimento de Sádia Reis, 11, durante coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (2), na sede da especializada.

VEJA TAMBÉM: Entenda a reviravolta no caso de padrasto e enteada julgados pelo ‘Tribunal do Crime

Na ocasião, foram apresentados Leandro Christopher Ribeiro Silva, 19, e Nayana Alencar França, 32, que foram presos ontem (1°) e estão sendo investigados pelo crime de tráfico de drogas e associação criminosa.

A autoridade policial ressaltou que as investigações em torno do caso iniciaram após o recebimento de denúncia anônima sobre a participação de Nayana no sequestro de uma criança de 11 anos e do seu padrasto que, a princípio, teriam sido mortos na invasão Monte Horebe, a mando de traficantes do local.

A delegada reforçou que a polícia trabalha com diversas hipóteses, mas que poucas informações serão divulgadas. Entretanto, com a prisão de Nayana diversas linhas serão apuradas para a elucidação do caso.

“Temos a convicção de que a Nayana, tem sim, envolvimento no caso pois, era ela a ‘responsável’ pelos cuidados e destino da criança. E as informações que temos é que houve um sequestro do padrasto e junto estava Sádia. Diante disso, obrigaram a menina a fazer os dois vídeos que circularam na redes sociais e, ao que tudo indica estava no apartamento de Nayana situado no Viver Melhor esperando ordem de dentro do presídio sobre o que fazer com a menina”, detalhou a delegada.

Desaparecimento

Desde o último dia 19 de setembro deste ano, a polícia recebeu a informação de que um homem identificado como ‘Leilson’ havia sido sequestrado dentro da própria casa na invasão Monte Horebe, até então, contraditória a versão contada pela família.

No dia 23 do mesmo mês, as buscas por dois possíveis corpos começaram desde as primeiras horas naquela área. Conforme a polícia, ossadas foram encontradas na invasão, mas se tratavam de restos mortais de animais daquela área. Policiais militares e civis, com o auxílio de cães farejadores, deram continuidade às buscas pela área da ocupação na tentativa de localizar o corpo de Leilson, que está sendo dado como morto pela família após denúncias anônimas. Mãe e esposa desmentem a versão de que ele teria estuprado a criança.

“Nós temos algumas linhas de investigação, onde primeiro existe a alegação em que a menina havia sido vítima de estupro, considerando também um suposto tribunal do crime naquela região. Provavelmente o padrasto já esteja morto, a criança, pela data do vídeo, ainda teria ficado viva. Nós temos esperança de encontrar essa criança viva, mas estamos recebendo diversas denúncias que pessoas estão sendo expulsas do Monte Horebe desde a primeira entrada da polícia no local”, exlicou Joyce Coelho.

Prisões

Na terça-feira (1°), o casal – Leandro Christopher e Nayana Alencar – foi preso após o recebimento de denúncia anônima em que a dupla estaria comercializando drogas na invasão Monte Horebe.

Conforme a titular da Depca, ainda na terça-feira, uma equipe policial foi até o endereço informado onde encontrou os suspeitos. Com eles foram apreendidos porções de cocaína, maconha, três notebooks, três aparelhos celulares, dinheiro e agenda com anotações do tráfico.

Ainda de acordo com a delegada, Nayana é ex-presidiária e foi condenada pela justiça há nove anos prisão pelo crime de roubo majorado cometido em 2017 em um cartório de Manaus. De fora do presídio ela passou a coordenar a atividade e responder ao chefe do tráfico na ocupação Monte Horebe.

Leandro também possui uma condenação por roubo majorado, tentativa de homicídio e uma por porte ilegal de arma de fogo e está usando tornozeleira eletrônica.

A dupla foi indiciada pelo crime de tráfico de drogas e associação criminosa e posteriormente serão encaminhados a audiência de custódia no Forúm Ministro Henoch Reis.

Por Lindivan Vilaça


Deixe um comentário