Cultura

Centros culturais da SEC têm novo horário de funcionamento a partir deste mês

Espaços passarão a funcionar das 13h às 21h, com atendimento aos visitantes das 13h às 17h (Foto: Divulgação)
Redação...
Postado por Redação...

A partir deste mês, os centros culturais mantidos pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), passam a receber visitantes em novo horário. O atendimento voltado aos turistas, anteriormente realizado de terça a sábado, das 9h às 13h, acontece agora das 13h às 17h, de segunda-feira a sábado, e das 11h às 15h, aos domingos.

A mudança abrange os Centros Culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé, no Centro de Manaus, que passarão a funcionar efetivamente das 13h às 21h. O Centro Cultural dos Povos da Amazônia, no Distrito Industrial, mantém o atendimento para visitantes das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

A mudança no horário visa permitir a inclusão, no período de funcionamento dos locais para o público, das ações e atividades promovidas nos centros culturais por meio do Programa Espaço Aberto. Lançado no final de outubro passado, o programa de ocupação da SEC vem abrindo espaço para shows musicais, concertos, recitais, espetáculos de dança e teatro, apresentações circenses, lançamentos de livros, ensaios e outras atividades artísticas e culturais nos centros administrados pela Secretaria.

“Esperamos que a ocupação tenha uma programação mais regular a partir de 2018. Se hoje temos uma ação acontecendo uma ou duas noites por semana num local, a ideia é que venhamos a ter atividades quatro noites por semana. Queremos que os centros culturais tenham uma vida ativa”, assinala Taciano Soares, diretor de Centros Culturais da SEC. “A proposta é estimular essas atividades, para que as pessoas voltem a frequentar os centros culturais, e saibam que ali terão opções de arte e cultura”.

Soares reitera a ocupação dos centros culturais como forma de permitir a ocupação dos espaços tanto pela classe artística quanto pelo público, e cita como exemplo o Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. “Hoje o CCBB é um espaço enorme, mas há 30 anos não era assim, começou devagarinho. E por isso acreditamos em nossos centros culturais, que são menores, mas têm um potencial incrível para escoar a produção artística e cultural, ao lado dos teatros de difusão”, comenta.

Atendimento ao turista – A mudança, de acordo com Soares, está sendo comunicada às agências de turismo para adaptação das atividades realizadas junto aos visitantes de fora de Manaus ao novo horário. “Os centros culturais têm uma condição especial, de serem espaços artísticos e também turísticos. Recebemos muitos turistas espontâneos e também aqueles trazidos por agências”, diz.

O diretor aponta que a mudança no horário dos centros culturais terá inicialmente caráter experimental. “Estamos investindo e dispostos a observar como serão os resultados. É uma proposta um pouco ousada, pois de fato modificamos um horário que já era de costume”, explica.

“Por outro lado, não era costume ter artistas dentro dos espaços, portanto são duas medidas para atualizar o que é um centro cultural: a coabitação do turístico, da memória, com o presente, que é a produção artística do Estado”.

Comentários

Deixe um comentário