Cinco toneladas de charque são apreendidas em empresa de Rio Preto da Eva

foto: divulgação/Adaf

A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) interditou cautelarmente uma unidade de beneficiamento de carne no município de Rio Preto da Eva (a 57 quilômetros de Manaus), na última quarta-feira (19).

O produto final – charque – estava sendo embalado e comercializado sem a devida autorização do órgão de defesa, uma vez que o processo para liberação do Serviço de Inspeção Estadual (SIE) ainda não foi finalizado junto à Adaf.

A fiscalização no local foi uma operação conjunta da Adaf com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), uma vez que também havia denúncias quanto à segurança dos trabalhadores.

Foram apreendidas aproximadamente cinco toneladas de charque, que ficarão retidas no próprio estabelecimento, sob a responsabilidade do proprietário na condição de fiel depositário. Amostras do produto foram coletadas para análise laboratorial, com o objetivo de descartar a possibilidade de contaminação.

“Se for constatado que os produtos apresentam condições impróprias para consumo, serão destinados à destruição”, explica o fiscal agropecuário médico veterinário, Haruo Takatani, que coordenou a fiscalização da Adaf.

Fiscais da Adaf verificaram ainda que a charqueria apresenta uma série de problemas nas condições higiênico-sanitárias, comprometendo a qualidade dos produtos finais, como oxidação de estruturas, lava-botas com defeitos, deficiência na cobertura da estufa e no piso, ralo sem proteção e armazenagem de produtos de limpeza em local inadequado, entre outras inconformidades.

O coordenador local-médico veterinário (coordenação de carnes), Gerado Bezerra, ressalta que também há processos pendentes de documentação na Adaf que não foram atendidos pelo estabelecimento.

“Ele solicitou registro junto ao Serviço de Inspeção Estadual, mas não apresentou toda a documentação requerida para esse tipo de estabelecimento. Em razão disso e das irregularidades sanitárias encontradas, o estabelecimento foi interditado com suspensão das atividades produtivas até que as pendências sejam sanadas. Já tem um ofício da Adaf listando toda a documentação necessária para a regularização”, detalhou Gerardo.

A operação de fiscalização ocorreu em atendimento a uma denúncia. Qualquer cidadão pode encaminhar à Adaf denúncias relacionadas ao processamento de alimentos de origem animal por meio da Ouvidoria da autarquia pelo telefone 99380-9174.

Operação conjunta – A ação da Adaf ocorreu conjuntamente com a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), que identificou situações de risco à saúde e segurança dos funcionários. A agente Socorro Soares, do Centro de Referência Estadual de Saúde do Trabalhador (Cerest) da FVS, explica que o ambiente de trabalho na charqueria oferece riscos como exposição a materiais cortantes sem a devida proteção, contato direto e prologado com sal, e ausência de um manual de boas práticas, entre outros problemas. A equipe do Cereste/FVS vai preparar um relatório da fiscalização e propor ajustes ao estabelecimento.

Sobre a Adaf – A Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) é uma autarquia integrante do Sistema Sepror, com a missão de garantir a preservação do patrimônio animal e vegetal do estado através da proteção da saúde dos animais e a sanidade dos vegetais, a idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na agropecuária, além da identidade, qualidade e segurança higiênico-sanitária dos alimentos e demais produtos agropecuários.