Com a greve dos Correios, pequenos negócios estudam alternativas para entregas

Foto: Reprodução

Que o e-commerce está sendo o aliado de muitas pessoas durante esta pandemia é fato. De acordo com dados divulgados pelo PayPal, empresa de pagamentos on-line, o número de lojas virtuais no Brasil cresceu 40,7% de agosto de 2019 até agosto 2020. Mas o que deveria ser fácil e rápido está gerando transtornos para muitos brasileiros desde o dia 18 de agosto, quando funcionários dos Correios anunciaram greve.

A paralisação foi motivada pela anunciada privatização da estatal e, de acordo com os funcionários, pela “negligência com a saúde dos trabalhadores” na pandemia. Os grevistas também pedem que direitos trabalhistas sejam garantidos.

Mariana Reis de Almeida, dona da marca Concha e Folha, que tem sede em Vila Velha (ES), diz que um problema recorrente com a paralisação dos Correios é o atraso nas entregas: “O que aconteceu muito na pandemia com o aumento nas vendas on-line”, diz.

Leia a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Portal Manaus Alerta