Com cursinho pré-vestibular, Colégio Estadual busca a aprovação dos estudantes nas universidades

Foto: Divulgação

Aprovar estudantes no vestibular e melhorar o rendimento em sala de aula são os objetivos do cursinho pré-vestibular que iniciou as atividades no tradicional Colégio Estadual Dom Pedro II, no Centro de Manaus. Como iniciativa voluntária do corpo docente, a unidade escolar tem ofertado aos alunos do ensino médio aulas gratuitas.


O “Castelo Aprova” é um cursinho direcionado aos estudantes que buscam a aprovação nos vestibulares das universidades públicas do Amazonas (SIS/PSC/UEA-Macro/Enem) e realizou sua aula inaugural no último sábado (7), contando com aproximadamente 90 participantes. A iniciativa reúne alunos do Ensino Médio do Colégio Dom Pedro, ex-alunos e estudantes de outras instituições.

O idealizador do projeto e gestor da escola, David Martins, explica que a proposta é oferecer aos alunos que não tem acesso a um curso particular a possibilidade de competir com outros candidatos de forma igualitária. “Desde o início, nossa busca é por colocar o estudante como um protagonista da sua história, principalmente ao sair do ensino médio e encarar a universidade, visto que em muitas situações estes estudantes são de famílias de baixa renda e não conseguem pagar por aulas particulares”, citou.

Futuro – Com o sonho de se tornar uma designer, a estudante Rayza de Melo, de 17 anos, acredita que a iniciativa deve contribuir para o seu futuro. “Desejo me tornar uma profissional de excelência, e percebo o quanto este projeto tem contribuído para isso, pois já na primeira aula me senti mais tranquila para as etapas que estão por vir e que devem resultar diretamente no meu desempenho escolar e ainda na minha aprovação na universidade”, explica.

Peterson Almeida, que almeja ser aprovado no curso de Odontologia fala, ainda, que o projeto fortalece o aprendizado dos alunos. “Na prática, quem mais ganha com a proposta somos nós, estudantes, pois temos a oportunidade de estudar assuntos específicos que devem cair no vestibular e que facilita a assimilação destes temas que também serão vistos em sala de aula”, reitera.

Projeto solidário – Para o professor Júlio Nascimento, que no cursinho dá aulas de História, o espaço é necessário por conta da concorrência. “Este projeto solidário é de suma importância, pois o cursinho melhora a capacidade de aprendizagem dos alunos, e propõe ainda que ele foque nas dificuldades encontradas em determinadas disciplinas”, afirma.

(*) Com informações da  Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Educação e Desporto