Convênio entre Secretaria de Saúde e Corpo de Bombeiros promove melhorias em atendimentos na FCecon

Foto: Diego Peres/Secom

O governador Wilson Lima formalizou, nesta quarta-feira (7), convênio entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) para que 21 profissionais de saúde da corporação reforcem os atendimentos na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon).

Já de início, será possível ampliar uma série de serviços na unidade, como consultas, cirurgias ambulatoriais e processos de desospitalização. A ação na FCecon faz parte do programa “Saúde Amazonas”, que está reorganizando e modernizando a rede de assistência no estado.

“Hoje é um dia importante porque a gente fortalece uma instituição que, ao longo de muito tempo, acabou ficando esquecida pelos governos que aí passaram. E hoje nós estamos dando a importância devida, entendendo que nós precisamos aumentar a qualidade do serviço para aquela pessoa que procura essa instituição”, afirmou Wilson Lima.

Dentre os profissionais selecionados para atuar na unidade, que é referência regional na assistência de alta complexidade em oncologia, estão: nove médicos, sendo cinco clínicos gerais, dois oncologistas, um patologista clínico e um onco-ortopedista, além de dois enfermeiros especialistas em urgência, emergência e centro cirúrgico e dez técnicos de enfermagem.

Na solenidade, o governador também anunciou que, a partir de 26 de novembro, os bombeiros irão assumir a administração da Policlínica Gilberto Mestrinho, no Centro de Manaus. A proposta é que a unidade se torne referência para o atendimento aos pacientes que chegam do interior.

“Quem vem do interior vai procurar essa unidade, lá serão realizados alguns procedimentos, e se não puder ser realizado lá, aí essa unidade vai fazer a referência para as outras unidades, seja aqui para a FCecon, Platão Araújo ou qualquer outra unidade da capital”, acrescentou o governador.

Otimização – Aprovados no concurso de 2009 do CBMAM, os bombeiros da área de saúde foram convocados em fevereiro deste ano. Após passarem pelo Curso de Formação Militar e atuarem na linha de frente do combate ao novo coronavírus, ao menos 21 desses profissionais reforçarão o atendimento na FCecon, durante os meses de outubro e novembro. Posteriormente, parte dos militares continuará a prestar apoio especializado na unidade, durante a vigência do convênio.

A equipe multidisciplinar apoiará os setores de quimioterapia, ortopedia oncológica, patologia, Centro Cirúrgico Ambulatorial e no trabalho de cuidados paliativos realizado na FCecon, com jornada de trabalho de 36 horas semanais.

Somente o serviço de Oncologia Clínica oferta mais de 150 vagas de primeira vez ao mês. A chegada dos profissionais do Corpo de Bombeiros permitirá mais agilidade no atendimento desses pacientes, reduzindo filas e o tempo de espera entre 40 e 60 dias.

“O Corpo de Bombeiros está cedendo especialistas que vão atuar na área clínica, na análise patológica, para que venha a diminuir ou até zerar o número de pessoas na fila. A nossa contribuição é justamente para fazer fluir as necessidades e aquilo que a Fundação está precisando nesse momento”, destacou o comandante-geral do CBMAM, coronel Danízio Valente.

De acordo com o secretário de Saúde, Marcellus Campêlo, o aproveitamento do efetivo militar também vai possibilitar a otimização dos recursos do Estado.

“Esses profissionais entram nas unidades de saúde e aqueles serviços que eram pagos de forma terceirizada são extintos. Então, há uma economia principalmente no que chamamos de atividade-fim no atendimento em assistência médica, que tem que ser feito por profissionais concursados”, explicou.

Centro Cirúrgico Ambulatorial – O Centro Cirúrgico Ambulatorial realiza cirurgias de pequeno porte, que oferecem ao paciente o benefício do breve retorno ao lar. A viabilização, via convênio com o Corpo de Bombeiros, de dois enfermeiros e

10 técnicos de enfermagem possibilitará a realização de 20 cirurgias desse tipo por dia.

Com a ampliação do serviço, a FCecon também conseguirá a liberação de mais leitos hospitalares. A ampliação da produção no Centro Cirúrgico Ambulatorial permitirá, ainda, um aumento na realização de conizações, cirurgias simples para retirada de lesões precursoras do câncer de colo do útero.

(*) Com informações da Secom