Corpo do jovem Carlo Acutis em processo de beatificação estará exposto até 17 de outubro

Foto: Divulgação/Vatican News

“Permitir a um maior número de pessoas um momento de recolhimento diante do túmulo de Carlo Acutis, quer antes como depois da beatificação de 10 de outubro na Basílica superior de São Francisco”. Com esta motivação, o bispo de Assis, Dom Domenico Sorrentino, explica a exposição do corpo do Venerável – que foi recomposto – a partir desta quinta-feira no Santuário do Despojamento, em Assis, ao final da celebração da Missa por ele presidida.

Os pais de Carlo participaram da celebração. Sua mãe, Antonia Salzano, muito comovida, disse esperar que, “pela exposição do corpo de Carlos, os fiéis possam elevar com mais fervor e fé as orações a Deus, que por meio de Carlo, nos convida a ter mais fé, esperança e amor por Ele e por nossos irmãos, assim como o próprio Carlo fez em sua vida terrena”.

“No dia da beatificação – explicou Dom Sorrentino – levaremos uma relíquia para o local da celebração, mas o seu corpo ficará sempre aqui até 17 de outubro”.

De fato, o período de veneração do corpo do jovem Beato terminará em 17 de outubro às 10h30 com a Santa Missa no Santuário do Despojamento, presidida pelo bispo Sorrentino, com a participação de toda a representação diocesana. Ao final, o túmulo do Beato será fechado.

Mas até lá, a diocese organizou uma rica programação sobre a figura de Carlo Acutis, marcada por orações, celebrações litúrgicas e momentos de animação cultural.

Uma vida santa

Nestes dias são intensos os trabalhos para ajustar cada detalhe da máquina organizativa. “A espera é grande e festiva”, afirma Dom Sorrentino. “Não é algo de todos os dias – acrescenta – que um jovem de 15 anos suba às honras dos altares, como sinal de uma vida verdadeiramente santa, cristã, enraizada no Evangelho e guiada nas pegadas de São Francisco de Assis”.

“Este rapaz – explica o bispo – foi realmente genial e muitos aspectos da sua vida representam para nós uma provocação”.

Grande participação

A abertura do túmulo, juntamente com os eventos paralelos, permite também melhor distribuir o número de fiéis que chegarão a Assis, promovendo assim o cumprimento das exigências impostas pela situação de saúde.

Para a beatificação – continua Dom Sorrentino – são esperadas mais de 3.000 pessoas. E os pedidos de participação continuam a chegar, porque há muitas pessoas em todas as partes do mundo que conhecem esta história e se sentem atraídas por ela”.

Telões

Vários telões serão instalados em várias praças da cidade. Do centro histórico a Santa Maria degli Angeli: haverá uma conexão ao vivo com as imagens do interior da Basílica superior.

“Evidentemente – diz o bispo – não existe outra possibilidade de mostrar o andamento da celebração, permitindo assim às pessoas dela participarem, mesmo à distância”.

Esforço conjunto

O acesso às praças será feito somente mediante inscrição, por meio do sistema de reservas digitais lançado nos últimos meses. Uma organização escrupulosa, em sintonia com as autoridades civis, que vê a diocese empenhada junto com toda a família franciscana.

O mesmo acontecerá na recepção dos jornalistas, com um envolvimento específico da Sala de Imprensa do Sagrado Convento.

Uma segunda estrutura para os jornalistas será instalada nas dependências da diocese. Enquanto isso, a atenção da mídia em relação ao jovem Carlo também se materializou em uma vídeo-reportagem realizada pela Officina della Comunicazione e Telepace em colaboração com a VatiVision, a plataforma digital para a distribuição de conteúdos audiovisuais de inspiração cristã, inclusive alguns dedicados à biografia do menino que morreu em 2006 de leucemia.

As informações são do Vatican News