Cidades

Decreto vai agilizar atendimento a indígenas venezuelanos

Atualmente, são 355 indígenas venezuelanos morando em Manaus, concentrados no Centro, na Rodoviária e na zona Leste- foto: José Nildo/Semsa
Redação
Postado por Redação

A Prefeitura de Manaus já tem em mãos um instrumento para agilizar as medidas em favor dos índios venezuelanos que se encontram acampados ou abrigados na cidade de Manaus. O decreto 3.689, que declara emergência social, foi publicado no Diário Oficial do Município no dia 4 de maio deste ano, desburocratiza o atendimento às famílias de indígenas venezuelanos, da etnia Warao, entre as quais se encontram crianças, adolescentes e idosos.

Diante da necessidade de resposta rápida, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, determinou que a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), priorize ações emergenciais humanitárias em Manaus. Todos os órgãos e entidades do município estão em estado de alerta para atender as ações e atividades requeridas ou solicitadas pela Semmasdh.

Hoje, além da necessidade de abrigamento dessa população, a maior preocupação do poder público municipal é a possibilidade de disseminação de doenças oportunistas e de fácil transmissão, que podem causar sérios riscos à saúde dos imigrantes e dos manauaras.

“Já estamos comunicando ao Ministério da Integração Regional, à Secretaria Nacional da Defesa Civil, ao Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), além do Governo do Estado por via da Secretaria de Estado da Assistência Social (SEAS) e Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), sobre o decreto. Ao mesmo tempo estamos avaliando os possíveis locais que servirão para o abrigamento dessas pessoas. Temos todo um trabalho de monitoramento de entrada e saída das famílias de Manaus e agora, com o decreto, poderemos avançar mais no atendimento”, afirmou o secretário da Semmasdh, Elias Emanuel.

Atualmente, são 355 indígenas venezuelanos morando em Manaus, concentrados no Centro, na Rodoviária e na Zona Leste. A Semmasdh continua com o monitoramento diário por meio das equipes de abordagem social, enquanto a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) realiza o atendimento médico e vacinação por meio do “Consultório de Rua”.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários

Deixe um comentário