Delegacia do Idoso segue atuando em diligências de pessoas da terceira idade

Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM

Mesmo com o crescimento de contaminação do novo coronavírus no Estado, a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) segue com o funcionamento de todas as suas unidades policiais, incluindo a Delegacia Especializada em Crimes Contra o Idoso (DECCI), que tem como objetivo resguardar pessoas da terceira idade.

“A demanda da delegacia sempre é grande e acreditamos que, devido à pandemia do novo coronavírus, a população idosa precisou ainda mais de auxílio em virtude da nova configuração de habitação”, disse a delegada Andréa Nascimento, titular da Especializada.

De acordo com ela, é sabido que a situação de confinamento gera ansiedade em algumas pessoas e muitas vezes coloca o idoso em contato com um possível agressor por mais tempo. “Isso tende a ser uma combinação perigosa para os vulneráveis. Por esse motivo é que estamos fazendo de tudo para intensificar o número de diligências, a fim de dar uma resposta o mais breve possível aos idosos”, detalhou ela.

Conforme a delegada, nos primeiros dias de 2021, foram realizadas, pela equipe de investigação, 57 diligências domiciliares com a missão de apurar denúncias de violência contra a pessoa idosa, que está em isolamento social.

A autoridade policial explica que, mesmo com o distanciamento social, há formas de identificar a vítima de maus-tratos. “Há sinais físicos como arranhões, vermelhidão na pele e até mesmo cortes nas regiões da cabeça e braços. Além dos sinais psicológicos como depressão, nervosismo e ansiedade”.

Segundo o novo decreto, a delegacia está realizando Boletins de Ocorrência (BOs) apenas de caráter emergencial, porém, o atendimento ao público para dúvidas e orientações está disponível por meio do telefone da Especializada. “Sem sombra de dúvidas o maior desafio é justamente preservar os idosos, bem como os investigadores que fazem as diligências, evitando que ambos possam vir a se contaminar de alguma forma. Para isso, seguimos todas as orientações dos órgãos competentes quanto aos protocolos de segurança”, afirma Andréa.

A orientação aos idosos e familiares é denunciar qualquer caso suspeito, devendo ser feito por meio dos canais de denúncias 181 e Disque 100, ou pelo telefone (92) 3214-5800

Com informações da assessoria