Deputado Carlos Alberto pede transferência da Depca para região centralizada de Manaus

Segundo o parlamentar, a criminalidade continua fazendo diversas vítimas em diversas faixas etárias, gêneros e atingem famílias todos os dias- foto: Arthur Castro
Manaus Alerta
Postado por Manaus Alerta

O deputado estadual Carlos Alberto (PRB) deu entrada na mesa diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) nesta terça-feira (12), em uma indicação ao governador Amazonino Mendes para transferir a sede da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) para uma área mais centralizada de Manaus e com isso dará acessibilidade a toda a população da cidade.

“A delegacia hoje está instalada no conjunto Vista Bela, no bairro Planalto, onde a localização fica em um difícil acesso para vítimas das zonas Norte e Leste da capital amazonense. Segundo pesquisas, essas áreas são onde existem mais concentrações pessoas em Manaus, tornando as duas regiões mais populosas da cidade”, disse o parlamentar.

Conforme Carlos Alberto, a Depca é um órgão da Polícia Civil do Amazonas de suma importância para sociedade e o acesso a delegacia é essencial para as vítimas de crimes onde envolvem crianças e adolescentes.

“Todos sabem que sou um defensor das causas da faixa etária infanto-juvenil. Estou fazendo esse pedido, pois inúmeras ocorrências acontecem diariamente com as crianças e adolescentes no Amazonas”, explica.

Dados

De acordo com o levantamento do site do Sistema de Informações Governamentais do Amazonas (Siga), 653 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes foram registrados até o mês de setembro deste ano na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Denúncias

O número nacional de telefone de combate à violência contra crianças e adolescentes é o disque 100, que funciona como um serviço de proteção as vítimas de violência sexual, vinculado ao Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Ele trata-se de um canal de comunicação da sociedade civil com o poder público, que possibilita conhecer e avaliar a dimensão da violência contra os direitos humanos e o sistema de proteção, bem como orientar a elaboração de políticas públicas.

No Amazonas, as pessoas podem denunciar a violência infanto-juvenil pelo 190 do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) e 181 da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM).

Com informações da assessoria


Deixe um comentário