Detentos dividem máscaras e se contaminam de propósito para obter prisão domiciliar, no AM

Foto: Divulgação

O juiz Roger Luiz Paz de Almeida, da Vara única da Comarca de Presidente Figueiredo, vem analisando com maior rigor os novos pedidos de concessão do benefício de prisão domiciliar a detentos do 37.º Distrito Integrado de Polícia do município (localizado cerca de 128 quilômetros de Manaus). O motivo é a denúncia, já sob investigação da Polícia Civil, sobre contaminação proposital de presos pelo novo coronavirus.

Segundo a denúncia, alguns detentos estariam trocando de máscaras deliberadamente para “favorecer” uma possível contaminação pela doença. A desconfiança aumentou após surto repentino de casos dentro da unidade. Desde a semana passada, 12 presos testaram positivo para a covid-19. Oito receberam o benefício da prisão domiciliar e quatro estão em isolamento na própria unidade. Ainda há outros 24 casos em isolamento no distrito policial.

“A partir dessa situação que está sendo investigada, adotei como procedimento, me acautelar quanto a novos pedidos de concessão do benefício de prisão domiciliar. É justo que sejam observados os direitos dos presos, mas diante dessa denúncia, adotamos providências para que não haja equívocos”, destacou o magistrado.

Os testes nos presos foram feitos pelos servidores da Secretaria de Saúde do Município e as visitas de familiares na unidade foram suspensas. Dois agentes da cadeia também teriam sido contaminados, conforme informações repassadas à unidade jurisdicional de Presidente Figueiredo.

Com informações da assessoria