Direito incorpora inteligência artificial para tornar atividades mais estratégicas

Direito incorpora inteligência artificial para tornar atividades mais estratégicas
Manaus Alerta
Postado por Manaus Alerta

O uso da inteligência artificial no Direito ainda causa receios. Muitos profissionais não têm conhecimento sobre essa tecnologia e seus impactos no mercado jurídico.

Porém, esse recurso vem se transformando em algo poderoso quando se trata de agilizar processos e até aprimorar o atendimento dentro do escritório e a gestão de escritório de advocacia. Assim como a internet foi um dia foi questionada, por não se entender sua real contribuição, a inteligência artificial também vem sendo discutida em fóruns jurídicos e no mercado como um todo.

Ao contrário do que muitos pensam, a inteligência artificial não pretende substituir os advogados. Sua incorporação ao dia a dia dos escritórios promete mais agilidade, qualidade na prestação de serviços jurídicos, além de beneficiar o processo de tomada de decisões. Sem dúvida, incorporar a inteligência artificial no dia a dia garante ao advogado atividades mais estratégicas.

Inteligência Artificial no Direito

A inteligência artificial (IA) é uma área da ciência da computação que trabalha com a elaboração de sistemas que simulam a capacidade humana de pensar. De forma mais prática, proporciona que computadores raciocinem de forma independente.

A tecnologia está possibilitando novas formas de desempenhar funções em diversas áreas do mercado como medicina, engenharia, finanças e economia. O objetivo é trazer benefícios para a sociedade.

E no Direito, isso não é diferente. Com a criação de sistemas como o Watson, da IBM, é possível que robôs realizem uma série de atividades que antes demandavam tempo de uma equipe inteira de advogados. Esse sistema é um recurso de computação cognitiva que permite que softwares processem informações de forma muito semelhante ao cérebro humano.

Apenas para se ter uma ideia, o robô Ross, introduzido no mercado jurídico em 2017, tem a capacidade de analisar milhares de documentos em segundos. Também pode produzir relatórios e outros documentos que sintetizam o conteúdo jurídico. Além disso, pode interagir com os demais advogados, como se fosse um verdadeiro membro do time.

Além de criar advogados robôs, a inteligência artificial pode ser vinculada diretamente a software para advogados. Com esse recurso, fica muito mais simples organizar as demandas internas e realizar a automação de processos, por exemplo.

Se antes, apenas ofereciam relatórios compilando dados, a realidade mudou com a inteligência artificial: software inteligentes que pensam e ajudam o profissional no processo de decidir.

Como incorporar a Inteligência Artificial no Direito

Muitas são as dúvidas de como a inteligência artificial pode beneficiar o mercado jurídico. Além de melhorar o processo de decisão do advogado, ela também pode contribuir para outras rotinas do escritório, como por exemplo, o atendimento de clientes.

O chatbot é um bom exemplo de como utilizá-la para tornar atividades mais estratégicas. Desenvolvido especificamente para atendimento virtual, esse software é incorporado ao site do escritório ou seus canais de atendimento. É possível interagir com os clientes diretamente, tirar dúvidas rápidas, agendar consultas e outras funcionalidades. O advogado pode automatizar o atendimento com a mesma qualidade de um profissional, sem que para isso seja necessário sobrecarregar o time com esse tipo de atividade.

Outro exemplo de incorporação da inteligência artificial para uma advocacia mais estratégica é a construção de teses jurídicas mais fortes. Como esse tipo de tecnologia possibilita interpretar uma grande quantidade de dados, uma pesquisa jurisprudencial atinge outro nível, possibilitando que o advogado seja muito mais certeiro em suas teses.

O futuro da Inteligência Artificial no Direito

Certamente a IA é um recurso que permite ao advogado transformar sua rotina, tornando-a mais estratégica. Da organização do escritório, passando pelo atendimento e até a construção de teses, é uma forma de garantir mais agilidade na prestação de serviços e mais assertividade na atuação do profissional.

Com a chegada dos advogados robôs, muitos profissionais passaram a olhá-la com cautela. No entanto, esse tipo de desconfiança pouco procede, uma vez que o desempenho das atividades por essas máquinas é específico. O advogado é um profissional completo, que necessita não apenas de uma, mas várias habilidades para atuar.

Sem dúvida, o caminho é que mais e mais atividades da rotina jurídica sejam aprimoradas e facilitadas pela inteligência artificial. Basta mudar a maneira de olhar e ver que esse recurso é um grande aliado especialmente para quem quer se destacar em um mercado competitivo como é o da advocacia.


Deixe um comentário