Diretora nomeada por Damares se diz contra aborto mesmo em caso de estupro

Foto: Reprodução/Facebook

No Diário Oficial da União desta segunda-feira (31) foi publicada a nomeação de Teresinha de Almeida Ramos Neves para a direção do Departamento de Promoção da Dignidade da Mulher.

O Departamento de Promoção da Dignidade da Mulher integra a estrutura Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, que faz parte da pasta comandada por Damares. Teresinha desde maio trabalhava no ministério no cargo de coordenadora-geral de Atenção Integral à Gestante e à Maternidade do Departamento de Promoção da Dignidade da Mulher da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres.

Em um blog pessoal, em março de 2012, ela publicou posição contrária ao aborto, mesmo nas situações previstas em lei, como no caso de estupro da gestante. “Imaginem se todos que, a princípio, não têm condições financeiras para criar seus filhos optassem por matá-los, como se fazia antigamente… Ainda que o feto seja especial, resultado de estupro, a vida sobrepõe! Há vida desde a concepção, portanto, aborto é infanticídio!”, escreveu.

O governo federal tem profissionais em diferentes cargos que são críticos do aborto, com a própria Damares, que é pastora evangélica. A nomeação de Teresinha foi feita em meio a polêmica gerada pelo caso da menina de 10 anos que engravidou depois de ser estuprada pelo tio de 33 anos, no Espírito Santo.

Portal Manaus Alerta