Em Codajás, agricultores recebem investimento para fomentar a produção do açaí

O investimento foi de R$ 100 mil- foto: Herick Pereira

Agricultores de cinco comunidades do Município de Codajás devem dobrar a capacidade de produção do açaí, neste ano, devido às melhorias no escoamento do produto que passou a ser uma realidade nesta sexta-feira (9), com a entrega de um caminhão pelo Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS). O investimento foi de R$ 100 mil e faz parte do Termo de Fomento firmado entre a Associação de Produtores Agrícolas do Ramal do Miuá (Asparam) e o FPS.

A cidade da Calha do Madeira é a terceira a ser beneficiada neste mês com os investimentos do FPS. Os municípios de Itacoatiara e Lábrea receberam investimentos em torno de R$ 400 mil, através dos termos de fomento, que garantiram transportes e implementos agrícolas para associações das localidades.

“Queremos ver o sorriso e o empreendedorismo voltarem na vida dos agricultores. E o Governo do Estado tem esse foco de fomento através do apoio em projetos que garantem o sustento e a geração de emprego e renda para as famílias”, destacou a presidente de honra do FPS, Mônica Mendes, durante a solenidade de entrega do benefício, ao lado do presidente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), Luiz Herval, e representante da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror).

Valor na produção

A Asparam é uma entidade que atua na produção do açaí e demais fruticultura na região. A associação conta com 70 associados que atuam nos ramais do Retiro, Moady, Araçá, Miuá e na estrada Codajás Anori. Com uma média de produção de açaí de 250 toneladas/ano, a associação deve aumentar para 500 toneladas (+50%) este ano. Essa estimativa é do presidente da entidade, Francisco Dantas.

Crescimento

O Município de Codajás possui 488 hectares de terras cultiváveis de açaí e um volume de produção em torno de 26 mil toneladas (Safra 2017). Segundo o Idam da cidade, para este ano a safra está estimada em 28 mil toneladas. As cidades de Manaus e Manacapuru e o Estado do Pará são os principais destinos de comercialização do produto.

Com informações da assessoria