Em Manaus, 30 categorias prometem parar amanhã contra a reforma trabalhista

A expectativa é de que na terça-feira (9) sejam votados os destaques à proposta de reforma da Previdência.

Em Manaus, 30 categorias devem parar em ato contra uma greve geral nacional programada para amanhã (28) contra as reformas da Previdência e trabalhista propostas pelo governo do presidente Michel Temer (PMDB). Algumas categorias profissionais já confirmaram a adesão à paralisação.

Estão confirmados parar amanhã: Rodoviários, agropecuaristas, profissionais da saúde, trabalhadores dos transportes especiais, servidores federais, dentre outros professores das redes estaduais e públicas. Além de servidores da construção civil, metalúrgicos dentre outros. A expectativa é que algumas escolas particulares também possam aderir ao movimento.

A classe dos servidores públicos de Manaus também participará da grande mobilização. Entre eles, os servidores do Tribunal Regional do Trabalho 11ª Região (TRT-11), que foram liberados pela direção par aderirem ao movimento. Os demais servidores das esferas federal, estadual e municipal também vão aderir ao movimento.

“Essas reformas não trazem benefício algum à sociedade e os servidores públicos são tão prejudicados quanto qualquer outra classe trabalhadora, por isso, estaremos todos unidos na próxima sexta, lutando pela garantia dos nossos direitos”, diz o, vice-presidente do Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho no Amazonas e Roraima (SitraAM/RR), Luis Cláudio Correa.

Entre as mudanças aprovadas estão:

– O fim da contribuição sindical obrigatória. O trabalhador que quiser contribuir vai ter que autorizar o desconto.

– Os acordos coletivos entre patrões e empregados vão prevalecer sobre a legislação trabalhista, desde que os princípios da Constituição sejam preservados.

– O trabalhador poderá dividir as férias em até três vezes, mas um dos períodos não poderá ter menos de duas semanas.

– Regulamenta o trabalho remoto, quando o empregado trabalha de casa, e o trabalho intermitente, quando o funcionário presta serviço de forma descontínua e recebe por tempo trabalhado, pode ser hora ou diária.