Embrapa apresenta novo plano diretor para próximos 10 anos

Foto: Divulgação/Jorge Duarte/Embrapa

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) apresentou hoje (4) seu novo plano diretor, documento estratégico no qual são apontadas suas prioridades para os próximos 10 anos. Nele são apresentados nove temas prioritários externos, com objetivos, metas e entregas, bem como algumas metas internas à empresa.

“Esse documento orienta e direciona o rumo da Embrapa para o desenvolvimento sustentável e competitivo da agricultura brasileira”, ressaltou o presidente da Embrapa, Celso Moretti, ao abrir entrevista coletiva online para divulgar o plano.

Segundo ele, o documento define e torna públicas as prioridades do órgão. “Chegamos a nove temas prioritários, 11 objetivos estratégicos que abrangem inovação, melhoria de gestão e de eficiência, 29 metas tangíveis e quantificáveis de curto, médio e longo prazos”, disse Moretti, ao destacar a relevância da empresa para levar soluções, produtos e tecnologias para a agricultura brasileira.

Entre os temas prioritários citados no plano estão agricultura digital, rastreabilidade e logística associadas aos sistemas produtivos agrícolas. “Queremos, em cinco anos, dobrar o número de usuários de aplicativos e sistemas digitais gerados pela Embrapa”, disse Moretti ao citar o primeiro dos temas apresentados no plano.

Com relação ao tema produtividade e sistemas de produção sustentáveis, Moretti disse que a ideia é favorecer iniciativas que ajudem na redução da quantidade de carbono emitido na atmosfera. “Queremos, até 2025, incrementar em 20% o benefício econômico gerado por práticas agropecuárias e tecnologias sustentáveis.”

Também são temas prioritários agregação de valor aos produtos e serviços agropecuários e agroindustriais, adaptação e mitigação frente aos efeitos da mudança do clima, aproveitamento e transformação de biomassa para energia renovável, bioprodutos, bioinsumos, desenvolvimento territorial sustentável; Segurança alimentar e nutricional, uso e conservação de recursos naturais e sanidade agropecuária.

As informações são da Agência Brasil