Estudos avaliam PPP para operar duas hidrovias dos rios Madeira e Tapajós na Amazônia

Foto: Bruno Santos

Estudos querem avaliar a possibilidade de parcerias público-privadas para a manutenção e operação nas hidrovias dos rios Madeira e Tapajós. As duas hidrovias juntas respondem por 50% da movimentação total de navegação no interior do país.

As avaliações serão feitas pela consultoria holandesa Royal Haskonings e têm previsão de entrega até fevereiro de 2021.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, a medida é resultado de uma parceria entre a pasta e o Banco Mundial para colaboração na realização de avaliações técnicas.

A intenção, segundo o governo, é melhorar a eficiência da logística de exportação e do desenvolvimento regional do Arco Norte, principalmente nos estados do Tocantins, Amazonas e Pará.

A avaliação vai definir aspectos como análise de dados existentes, capacidade das partes interessadas e modelagem financeira.

Se, ao final das análises, o cenário for favorável, uma das possibilidades para as hidrovias é a estruturação de um processo de parceria com o setor privado.

Segundo dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários, em 2019, foram transportadas 40,3 milhões de toneladas de produtos em todas as hidrovias brasileiras. Somente no Rio Tapajós, foram quase 11 milhões de toneladas e no Rio Madeira, 9 milhões.

As informações são da Agência Brasil