Brasil

“Eu, saindo, vou roubar de novo”, diz mulher apontada como chefe de quadrilha que assaltava ônibus

Redação..
Postado por Redação..

Rita de Cássia Cunha Batista tem quatro condenações por tráfico de drogas, receptação e grave ameaça

A mulher flagrada agredindo passageiros de ônibus a socos e pontapés confessou ter participado de pelo menos seis assaltos entre o fim de 2016 e o início deste ano— sendo cinco em Porto Alegre e um em Viamão. Em depoimento ao delegado Alencar Carraro, Rita de Cássia Cunha Batista, 41 anos, presa desde 21 de março por tráfico de drogas, disse que cometia os assaltos porque a sua “vida é do crime”. Ela negou ser a chefe da quadrilha, dizendo que a função era de Alex da Silva Simões, 18 anos, preso nesta quarta-feira no bairro Tijucas, em Alvorada. Segundo Rita, foi ele quem a iniciou, junto com os filhos, nos assaltos a coletivos. Para a polícia, é ela quem comandava os assaltos.

— Eu não tinha carro. Quem tem é o Alex. Ele ia lá no portão de casa e chamava na frente. Vocês querem fazer uma mão? Tá a fim de fazer um roubo a ônibus?

Ela contou que aceitava as propostas em razão da sua condição financeira e detalhou que o carro do comparsa era utilizado para a fuga. Questionada sobre o motivo de agredir as vítimas, foi incisiva:

— Eu sou bandida. Sempre fui do crime. Nunca vou largar. Eu gosto do crime. A minha vida agora é só roubo. Eu, saindo, vou roubar de novo — garantiu.

Minutos depois, quando questionada novamente, disse que algumas pessoas foram agredidas porque a conheciam.

— Elas sabem por que apanharam.

Rita confessou que iniciou na vida do crime ainda adolescente por influência da mãe. Constam na sua ficha criminal 57 ocorrências policiais, muitas delas por furto, estelionato, ameaça e desacato, ocorrências de menor potencial ofensivo. Na certidão judicial de 15 folhas, mais de 40 processos foram arquivados, sem absolvição ou condenação. Muitos desses casos quando ela ainda integrava a “Gangue das Gordas”.

Ainda recaem sobre ela quatro condenações. Na mais recente, de 2015, pegou três anos de reclusão por receptação e grave ameaça, mas nem começou a cumprir porque cabe recurso. Antes disso, em 2014, foi condenada a cinco anos e nove meses por tráfico de drogas. Esta decisão ela começou a cumprir em 21 de março de 2017, quando foi presa em Porto Alegre. Em 8 de abril de 2014, ela terminou de cumprir as duas primeiras penas que, juntas, somavam 7 anos de detenção por tráfico de drogas.

A operação

A força-tarefa que investiga assaltos a ônibus desarticulou uma quadrilha que age desde o final do ano passado na Região Metropolitana. A polícia identificou que o grupo é formado por Rita e seus dois filhos, além de outros dois suspeitos, e que, em quase todos os ataques cometidos, os passageiros foram agredidos. Ainda houve ocorrências em que os ônibus foram sequestrados.

Membros da quadrilha identificados:

– Rita de Cassia Cunha Batista, 41 anos, com 57 registros policiais e judiciais pela prática dos seguintes crimes: roubo, porte ilegal de armas, lesão corporal, disparo de arma de fogo, resistência, desobediência, cárcere privado, estelionato, furto qualificado, receptação, posse de drogas, tráfico de drogas. Identificada em roubos a transporte coletivo nas cidades de Porto Alegre, Alvorada e Viamão. Seria uma das líderes da Gangue da Gordas, mulheres que historicamente praticavam furtos e roubos em áreas centrais de Porto Alegre e da Região Metropolitana.

– Nathan Kaue Cunha Winck, 18 anos, antecedentes como adolescente infrator pela prática do crime de tráfico de drogas, disparo de arma de fogo, cárcere privado. Identificado em todos os roubos a transporte coletivo citados.

– Kauan Henrique Cunha Batista, 21 anos, antecedentes como adolescente infrator pela prática do crime de tráfico de drogas, lesão corporal, como imputável antecedentes por tráfico de drogas e receptação. Identificado em todos os roubos a transporte coletivo elencados.

– Caio de Freitas Ibarros, 18 anos, antecedentes como adolescente infrator pela prática do crime de tráfico de drogas, lesão corporal, como imputável antecedentes por tráfico de drogas e receptação. Identificado em dois roubos a transporte coletivo na cidade de Porto Alegre, ambos no dia 1º de março.

– Alex da Silva Simões, 18 anos, antecedentes como adolescente infrator pela prática do crime de conduta ilegal. Identificado em três roubos a transporte coletivo na cidade de Viamão.

Fonte: ZH

Comentários

comentários


Deixe um comentário