Brasil

Fake news sobre vacina deixam indígenas com medo de ‘virar jacaré’, mostra documento

Foto: Divulgação/Ministério da Defesa

Fake news são perigosas, e um documento do Ministério da Saúde mostra parte das consequências da desinformação. A CPI da Covid está em poder de arquivos que relatam o medo de indígenas tomarem a vacina após terem acesso a notícias falsas, alguns, inclusive, têm receio de virar jacaré.

Segundo o Globo, há relatos enviados ao Ministério da Saúde de que indígenas rejeitaram o imunizante por medo de virar jacaré, trocar de sexo, contrair o HIV ou de morrer. Apesar disso, a pasta afirma que 74% dessa população já está vacinada.

Dos 34 distritos sanitários especiais (DSEIs) que ajudam a pasta a organizar o atendimento dos indígenas, 19 relatam a recusa da vacina, assim como estratégias para conseguir imunizar essa população.

Conforme noticiado pelo Globo, alguns dos relatos incluem medo de virar jacaré, temor de homens virarem mulheres e vice-versa. Em uma localidade do DSEI Médio Purus, no Sul do Amazonas, 229 indígenas rejeitaram a vacina por motivos religiosos e fake news, e alguns diziam que “que a vacina era produzida com partículas do vírus HIV, chip da besta e restos mortais”, conforme relato do Ministério.

Uma nota técnica assinada por Robson Santos da Silva, titular da Secretaria Especial de Saúde Indígena, afirma: “Os DSEIs iniciaram a Campanha de Vacinação, e aqueles que identificaram dificuldades para o alcance da meta foram orientados a aplicar o plano de sensibilização, uma vez que o principal motivo de resistência nos territórios indígenas ocorre devido à circulação de notícias falsas”