Família de menina estuprada aceita programa de mudança de endereço e identidade

Foto: Google/ STREET VIEW

A família da menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada no Espírito Santo e passou por um procedimento para interromper a gestação aceitou participar do Programa de Apoio e Proteção às Testemunhas, Vítimas e Familiares de Vítimas da Violência (Provita), oferecido pelo Governo Estadual que prevê apoio como mudança de identidade e de endereço.

A saída da criança do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), em Pernambuco, onde foi realizado o aborto, foi confirmada nesta quarta-feira (19), mas a data e horário da alta e o destino da menina não foram divulgados.

A guarda da criança é dos avós, porque a mãe morreu e o pai está preso.

 

Confira a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Manaus Alerta