Brasil

Família não tem contato com mulher que fez ofensas raciais contra Titi

Redação
Postado por Redação

Dayane Alcântara Couto de Andrade, de 28 anos, publicou um vídeo em seu perfil no Instagram no qual chama a filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank ‘macaca com cabelo de bico de palha’.

Nas redes sociais, a socialite que atualmente vive no Canadá se apresenta por Day McCarthy. No entanto, as informações sobre a vida de Dayane ainda são um mistério.

Em entrevista ao jornal O Globo, parentes disseram que perderam o contato quando Dayane foi morar no Rio de Janeiro, deixando a casa da mãe na cidade de Presidente Kennedy, no Espírito Santo. A jovem nasceu em Cancelas, no interior do estado.

“Ela estudou em escolas particulares, frequentou durante um ano a Igreja Batista, até se mudar para o Rio. Foi morar na capital fluminense depois de conhecer um músico. Sempre sonhou em ser rica e famosa. Foi uma adolescente muito revoltada. Vendo tudo isso o que ela tem feito, acho que está maluca. Precisando de ajuda psiquiátrica”, disse o parente que não foi identificado.

“Há muito tempo, desde que deixou o Espírito Santo, não sabemos muita coisa dela. O que dizem é que casou com um italiano rico e foi com ele para os Estados Unidos, depois para o Canadá”, contou outro parente.

“Quando o pai morreu, ela tinha 18 anos. Ele deixou uma herança. Ela brigou com a mãe, pegou a parte dela e foi viver a vida dela. Conheceu um músico de uma banda famosa, que fazia um show em Presidente Kennedy, e foi morar com ele no Rio”, afirmou um parente.

Dayane viajou para os Estados Unidos, onde ficou ilegalmente e trabalhou como babá e num shopping. “Ela conseguiu cidadania americana. Já separada do empresário, ficou rica. É tudo o que nós sabemos”, disse outro.

A família acredita que a jovem foi revoltada com a vida pobre na infância e diz que ela sempre sonhou ser rica e famosa. “Ela cresceu revoltada com a infância pobre. Mas era uma pessoa muito diferente dessa mulher que hoje precisaria de tratamento médico. Capaz de desejar a morte de um sobrinho, uma criança que sofre de uma doença grave”, revelou uma prima.

Em seu perfil no Instagram, com mais de 700 mil seguidores, a socialite afirma que já publicou quatro livros e que o que mais almeja na vida é servir de “inspiração”. Após a repercussão da injúria racial, a conta de Dayane no Instagram ganhou 50 mil novos seguidores.

Fonte: Noticias ao minuto

Comentários

Deixe um comentário