Amazonas

Governo do AM fortalece cadeia produtiva do pescado em Anamã

Foto: Divulgação

Pescadores artesanais de Anamã adquiriram canoas de alumínio, rabetas e motores de popa, por meio de financiamentos do Governo do Amazonas, por meio da Agência de Fomento do Amazonas (Afeam), em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam). A ação de entrega dos equipamentos aconteceu no sábado (24) e beneficiou cerca de 37 pescadores com projetos que somam R$ 520 mil.

A ação contou com apoio da Prefeitura Municipal, associações, sindicato e colônia de pescadores do município. Ao todo, foram financiados 28 canoas de alumínio, quatro motores de popa, 23 motores Honda 6,5 HP com rabeta e um motor 13 HP com rabeta. Conforme levantamento da unidade local do Idam em Anamã, até o momento o Instituto já atendeu mais de 50 pescadores artesanais, e os projetos aprovados ultrapassam a margem de R$ 800 mil para custeio e investimento.

Para o diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso, o crédito rural quando bem aplicado é uma ferramenta de desenvolvimento na zona rural e que o governador Wilson Lima tem priorizado. “No Amazonas, o acesso ao crédito tem possibilitado que pequenos produtores saiam da condição de produção de subsistência para produção em escala comercial. Além de oportunizar a melhoria e organização das unidades de produção familiar. Para os que vivem da pesca, o transporte próprio para escoar a produção traz mais autonomia no desenvolvimento da atividade”, pontuou.

De acordo com o gerente do Idam em Anamã, Eurico Paulo Barbosa, o incentivo possibilita aos pescadores de todo o estado a aquisição de instrumentos de trabalho, que serão pagos em longo prazo e com menores taxas de juros. “Na prática, esse apoio ao pescador ajuda no desenvolvimento das atividades pesqueiras e melhora a renda e a qualidade de vida dos que praticam essa importante atividade no Amazonas”, disse.

Escoamento da produção

Eurico destaca que os equipamentos irão facilitar o deslocamento dos pescadores de suas residências até o local de pesca, assim como irão aumentar a capacidade de transporte do pescado, possibilitando expandir a comercialização da produção para comunidades mais distantes e até cidades vizinhas.

Para o pescador Odailson Pereira da Costa, de 28 anos, da comunidade Bom Jesus, a aquisição do transporte vai diminuir o tempo gasto na atividade. “Vai ficar mais viável para mim porque, no período da seca, a canoa de alumínio vai facilitar o acesso ao rio onde pescamos. Além disso, iremos economizar nas viagens, que agora serão mais rápidas”.

Os pescadores que tiveram os projetos aprovados são da sede do município, comunidades Nossa Senhora do Nazaré, Bom Jesus e vilas do Cuia e Arixi.

Anamã possui três entidades de pesca (associação, colônia e sindicato) com aproximadamente 2,5 mil pescadores cadastrados. Além da pesca, o município também apresenta potencial nos cultivos de mandioca, açaí e fibras.

Com informações da assessoria