Governo do AM mantém insumos de intubação para unidades de saúde no combate à Covid-19

Foto: Divulgação

Mesmo com o aumento da demanda por medicamentos hospitalares utilizados na intubação de pacientes, em virtude do crescimento no número de internações por Covid-19, o Governo do Amazonas vem mantendo os estoques desse tipo de medicação nas unidades de saúde, garantindo o atendimento para pacientes que apresentam quadro grave da doença.

Conforme dados da Central de Medicamentos do Amazonas (Cema), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), o Estado ainda dispõe, em estoque, de mais de 422 mil doses de componentes que fazem parte do chamado “kits de intubação”. Também estão programadas entregas de mais de 373 mil produtos ainda na segunda quinzena deste mês.

Os kits de intubação são compostos por 19 medicamentos, tendo funções como bloqueadores neuromusculares, reversores, hipnóticos, sedativos, entre outros. Todos os itens são padronizados pelo Estado e distribuídos pela Cema para todas as unidades de saúde tanto da capital, quanto do interior do Amazonas.

Ao todo, o estoque da Cema concentra, atualmente, a quantidade de 422.912 doses de medicamentos utilizados em intubação como: atracúrio, rocurônio, suxametônio, etomidato, propofol, midazolam, flumezanil, lidocaína, sulfato de magnésio, fentanila, morfina, tramadol, naloxona. As 373.330 doses para os medicamentos neostigmina, dextrocetamina, dexmedetomidina, clonidina, fentanila, reminfentanila, segundo a Cema, estão com a chegada programada para a segunda quinzena de janeiro, considerando os pedidos de urgência feito aos fornecedores e a alta demanda para esse tipo de medicamento em todo o país.

De acordo com o coordenador da Cema, Cláudio Nogueira, a demanda pelos insumos aumentou consideravelmente nas últimas semanas, tendo em vista o aumento de internações e pacientes necessitados de intubação. Ele considera que, mesmo com a grande procura pelos insumos, a situação do Amazonas é melhor que em outros Estados.

“Os medicamentos estão sendo distribuídos para as unidades, tentando garantir o tratamento da população. O Governo do Amazonas, apesar de estar no pico pandêmico, está em um cenário melhor que muitos estados. É importante frisar que fizemos planejamento para a aquisição de medicamentos, porém o grande problema é a entrega e produção das indústrias farmacêuticas, que ficaram fechadas no final do ano. Fica o nosso apelo para que este mercado fique aberto para socorrer os estados”.

Central de Medicamentos 

A Cema, unidade de apoio da SES-AM, é responsável por abastecer todas as unidades da rede estadual da capital e interior, e atualmente trabalha com cerca de 1.300 itens, entre medicamentos e insumos hospitalares. Com ajustes e reestruturação da rede, em dezembro de 2020, a Central de Medicamentos atingiu a marca de 75% de abastecimento, enquanto em janeiro de 2019, quando começou a gestão, esse índice era de apenas 12%.

Com informações da assessoria