Governo do Amazonas organiza distribuição de 50 mil testes de Covid-19 para o interior

Foto: Divulgação

Ampliando o sistema de monitoramento da Covid-19 no estado, o Governo do Amazonas inicia, nesta semana, a distribuição de 50 mil testes de antígeno para municípios do interior. O material faz parte de uma parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que doou 62.400 testes com o objetivo de ampliar o diagnóstico e interromper a cadeia de transmissão do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

“Estamos nessa parceria com a Opas para acelerar a detecção de novos casos e, consequentemente, trazer mais efetividade no combate à doença, principalmente no interior. É um esforço para interromper a cadeia de transmissão do vírus, através do aumento do diagnóstico”, afirma o secretário de Estado de Saúde, Marcellus Campêlo.

Além do interior, 12 mil testes serão distribuídos na capital, entre maternidades e Unidades Básicas de Saúde (UBS). Os antígenos estão armazenados na Central de Medicamentos do Amazonas (Cema) e seguem metodologia semelhante aos testes RT-PCR, porém sua principal vantagem é a detecção do vírus incubado em menos tempo.

O diretor-presidente em exercício da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Cristiano Fernandes, explica que o antígeno é uma forma complementar de diagnóstico ao RT-PCR, que já é usado no Estado.

“O teste de antígeno detecta partícula viral, a infecção ativa, então isso mostra que aquele paciente com teste de antígeno positivo está na fase aguda. Isso também ajuda bastante na questão da regulação do paciente na rede, do referenciamento desse paciente, e principalmente, relacionado à questão do isolamento social”, explicou.

Cristiano destaca ainda que o resultado do teste antígeno é capaz de mostrar um diagnóstico em até 15 minutos, mas não substitui o RT-PCR.

“Os exames são complementares. Existem outros exames de diagnóstico que dão suporte para o atendimento médico, que devem ser valorizados, como os exames de imagem e dos testes rápidos. O RT-PCR é o padrão ouro que a gente adota. A oferta do teste antígeno não substitui o RT-PCR. Como a gente tem dificuldade para o transporte de amostra do interior, é uma ferramenta importante, inclusive, em razão da restrição de acesso a alguns municípios”, considerou.

Uma nota técnica da FVS-AM e da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) será enviada aos municípios e detalhará a logística de distribuição dos testes de antígeno, incluindo o repasse do material juntamente com as vacinas recebidas pelo governo.

Com informações da assessoria