Cidades

Governo do Amazonas reduz em 40% os casos de Hanseníase

Conforme dados do Departamento de Controle de Doenças e Epidemiologia da Fuam, em 2010 o Amazonas tinha 705 casos da doença- foto: Vitor Souza/Secom
Redação
Postado por Redação

O Amazonas tem apresentado, nos seis últimos anos, redução significativa da incidência da hanseníase. Entre 2010 e 2016, o Estado registrou uma queda de 40,7% nos casos devido às ações de controle e combate à doença, desenvolvidas pelo Governo do Amazonas.

Nesta quarta-feira (8) o assunto voltou a ser discutido por autoridades governamentais e a sociedade civil, durante solenidade que homenageou o governador do Acre, Sebastião Viana, autor da Lei 11.520/2007, que instituiu pensão indenizatória às pessoas atingidas pela hanseníase e que foram submetidas a isolamento e internação compulsória.

As atividades de combate à doença são coordenadas pela Fundação de Dermatologia Tropical e Venerologia Alfredo da Matta (Fuam), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), que conseguiu um feito histórico de ter tirado o Amazonas da primeira para a 18ª colocação no ranking nacional de casos de hanseníase.

Durante o encontro realizado na quadra Poliesportiva da Escola Estadual Violeta de Matos Areosa, no bairro Colônia Antônio Aleixo, zona leste de Manaus, o vice-governador do Amazonas, Henrique Oliveira, ressaltou que o Governo do Estado vem somando esforços para melhorar o atendimento das pessoas com hanseníase.

Conforme dados do Departamento de Controle de Doenças e Epidemiologia da Fuam, em 2010 o Amazonas tinha 705 casos da doença. Em 2016, esse número reduziu para 418. Do total dos casos do ano passado, as maiores incidências ocorreram em pessoas do sexo masculino (59,8%), enquanto que no feminino foi de 40,2%. Os municípios de Boca do Acre, Parintins, Manacapuru, Humaitá, Manicoré, Presidente Figueiredo, Novo Aripuanã e Manaus foram os que apresentaram os maiores registros dos casos em 2016.

A Fuam vem avançando na supervisão dos municípios com o intuito de eliminar a doença no Estado. Em 2014 foram supervisionados 25 municípios; em 2015 foram 40 cidades, e em 2016 a Fuam supervisionou 53 municípios amazonenses.

Com informações da assessoria

Comentários

comentários

Deixe um comentário