Mundo

Haitianos vão receber 54 toneladas de alimentos doados por brasileiros

O objetivo das doações é atender e aliviar o sofrimento e a fome do povo haitiano, principalmente a parcela mais pobre, que vive em condições miseráveis e de abandono desde o terremoto que assolou o país em 2010.
Redação
Postado por Redação

A campanha Alimente a Esperança vai encaminhar 54 mil toneladas de alimentos doados por brasileiros para o Haiti. Hoje (13), voluntários ligados à Associação e Fraternidade São Francisco na Providência de Deus iniciaram os trabalhos de acondicionamento das doações em conteineres, que sairão do país em navio rumo ao Haiti, no próximo sábado (18).

O objetivo das doações é atender e aliviar o sofrimento e a fome do povo haitiano, principalmente a parcela mais pobre, que vive em condições miseráveis e de abandono desde o terremoto que assolou o país em 2010.

No ano passado, o país ainda não havia se recuperado da destruição de 2010 quando foi novamente devastado pela passagem do furacão Matthew, que deixou cerca de mil mortos e 62 mil haitianos desabrigados. Atualmente, muitas pessoas ainda vivem em condições totalmente adversas, muitos em tendas improvisadas e sem receber alimentação.

As doações serão acondicionadas em dois conteineres e transportadas de navio, em uma viagem que deve levar mais de 20 dias até o Haiti, segundo Éder Lima, um dos coordenadores da equipe de arrecadação de alimentos.

“Ao levantarmos junto à população local as principais necessidades, a resposta foi imediata: comida. Segundo a população, gêneros alimentícios era a principal carência do povo, que estava com fome e muitos inclusive morrendo por falta de alimentação adequada”, disse.

O coordenador da campanha, Frei Paulo Batista, falou sobre a importância de dar continuidade à mobilização: “apesar de os brasileiros darem uma demonstração de amor e solidariedade ao próximo, a situação do povo do Haiti é muito desoladora. Esses alimentos renovarão a esperança do povo haitiano por uma vida melhor. Portanto, precisamos continuar essa sensibilização”, defendeu.

Com informações da Agência Brasil

Comentários

comentários



Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido!