Tecnologia

Inovações tecnológicas para problemas agrícolas

A agricultura, o negócio mais antigo na terra, sempre tem sido arriscada já que depende de muitas variáveis como o tempo e, na atualidade, adiciona-se os pequenos benefícios, a incerteza dos mercados ou inclusive os produtos OMG. Outro problema que ultimamente os agricultores têm tido que encarar é o aumento da população global. Com a mesma quantidade de terras cultiváveis, têm que ter uma produtividade maior para poder alimentar a essa população crescente. Porém, isto leva a outros desafios como a água ou a terra, numa visão abrangente da mudança do clima com uma maior regulação ambiental.

Neste contexto, entra em jogo a tecnologia digital na agricultura. O avanço da tecnologia na agricultura tem se visto nos últimos anos. Em 2017, a inversão em companhias de AgTech alcançou os 700 milhões de dólares, mais do dobro que o ano anterior. Entretanto, esta inversão precisará aumentar no futuro para lidar com as necessidades da população, que foi estimada a alcançar mais de nove bilhões e meio em 2015.

Por isso, é fundamental encarar esta nova crise com as melhores soluções tecnológicas como a Internet das Coisas (IoT em inglês), uma ferramenta para mudar os métodos agrícolas para a nova produção de alimentos no futuro.

Lista de desafios e exemplos práticos de tecnologia inovadora na agricultura

A agricultura moderna tem que encarar os problemas atuais de escassez de água ou terras. Portanto, a tecnologia pode ser uma ferramenta fundamental para resolver estes problemas e ajudar a agricultura a cumprir suas funções fundamentais de ser a base para a alimentação da população.

Um dos elementos essenciais para ter uma boa produção é a irrigação dos cultivos. A tecnologia para ajudar a ter uma melhor irrigação supõe uma solução efetiva para seus campos. Assim, mantém o conteúdo de água necessário nas raízes para o crescimento das plantas, precisa de menor mão-de-obra para seu gerenciamento, aumenta a produtividade e graças aos sensores pode armazenar dados de umidade do solo para o monitoramento a tempo real das plantas.

Esta tecnologia pode ajudá-lo a calcular quando e quanta água aplicar, a quantidade de água em cada irrigação ou colocar com antecedência a quantidade a aplicar.

Tomar as decisões adequadas no momento exato no campo o ajuda a poupar tempo e dinheiro e assim conseguir melhores benefícios. A Análise Preditiva é um grande ativo de aprendizagem na semeadura, saúde das safras ou no uso de fertilizantes.

Por outro lado, as pragas têm se tornado cada vez mais habituais na agricultura. O monitoramento de seu campo para assim encontrar e controlar corretamente a praga é decisivo para não desperdiçar recursos e, ao mesmo tempo, resolver o problema de forma eficaz.

Além disso, a fertilidade do solo é imprescindível para as atividades agrícolas. Graças aos testes de solo, você poderá selecionar a quantidade certa de minerais, resultando em culturas de crescimento mais rápido e ajudará ainda mais a produzir mais culturas em comparação com os concorrentes.

A tecnologia tem como objetivo resolver estes problemas complexos que surgem na agricultura. Um claro exemplo disso é o Crop Monitoring, um aplicativo fácil de usar para os agricultores poderem monitorar seus campos, organizar ter um controle de suas atividades. Tudo isto num mesmo aplicativo. Entre suas funções, pode encontrar as seguintes:

  • Monitoramento de campo con satélites
  • Mapas de vegetação e produtividade
  • Notificações de mudanças no campo
  • Detecção precisa de problemas
  • Dados meteorológicos históricos e dos últimos 14 días
  • Funcionamento sem internet

Reduzindo o impacto ambiental

  • Fertilizantes. Antigamente usados para aumentar a produtividade, seu uso excessivo pode prejudicar ambos o solo e os humanos.
  • Agricultura de precisao. Melhorando a produtividade, os lucros e a automação do setor.
  • Proximidade às cidades. Evitando assim a erosão do solo, a transformação de solo em áreas de cultivo e, portanto, reduzindo o transporte.
  • Mudança na alimentação. A redução do consumo de carne e laticínios ajudaria a reduzir as áreas de cultivo necessárias, diminuindo a emissão de gases de efeito estufa.